02:21 11 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Cristina Kirchner, presidenta da Argentina entre 2007 e 2015 e atual vice presidenta eleita do país sul-americano.

    'Nova moda na América Latina': Kirchner critica autroproclamação de presidente interina na Bolívia

    © Sputnik / Yevgeny Biyatov
    Américas
    URL curta
    13193
    Nos siga no

    A vice-presidente eleita da Argentina critica a autoproclamação da senadora Jeanine Áñez na Bolívia: "Parece que [na América Latina] já não é o povo que elege seus presidentes".

    A vice-presidente eleita da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, criticou a autoproclamação de senadora de oposição ao cargo de presidente interina da Bolívia, após renúncia sob coação do mandatário do país, Evo Morales, neste domingo (10).

    "Agora, [as pessoas] se autoproclamam com grande patrocínio midiático e imediato reconhecimento de já sabemos quem", disse, em uma possível referência ao rápido reconhecimento norte-americano da nova chefe de Estado interina da Bolívia.

    Assim como os EUA, o governo brasileiro também reconheceu a autoproclamação de Jeanine Áñez. O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, declarou que a percepção do Brasil é de que "a Constituição boliviana está sendo respeitada".

    Jeanine Áñez, presidente interina da Bolívia
    © REUTERS / Carlos Garcia Rawlins
    Jeanine Áñez, presidente interina da Bolívia

    Em contrapartida, o governo argentino, liderado pelo adversário político de Kirchner, Maurício Macri, ainda não reconheceu o novo governo boliviano. O chanceler uruguaio, por sua vez, declarou que seu país só reconhece "presidentes que ascendem ao cargo por via de eleições", reportou a RT.

    "É uma nova moda na América Latina: parece que já não é o povo que elege os seus presidentes", declarou a vice-presidente eleita.

    A autoproclamação de Áñez é a segunda em menos de um ano na América Latina: em 23 de janeiro, Juan Guaidó se autoproclamou presidente da república na Venezuela. Assim como Áñez, Guaidó recebeu apoio imediato dos EUA e do governo de Jair Bolsonaro.

    Juan Guaidó
    © Sputnik / Marco Bello
    Juan Guaidó

    "O mais curioso é que dizem fazer isso em nome da democracia", concluiu Cristina Kirchner.

    Nesta segunda-feira (11), a senadora da oposição Jeanine Áñez Chávez se autoproclamou presidente interina da Bolívia em sessão parlamentar sem quórum. O mandatário deposto, Evo Morales, denunciou a violação da Constituição boliviana e das normas da Assembleia Nacional do país.

    Cristina Kirchner, que atualmente é senadora, foi recentemente eleita vice-presidente da Argentina, em chapa liderada por Alberto Fernández. Kirchner foi presidente da Argentina entre os anos de 2007 e 2015.

    Mais:

    Presidente interina da Bolívia nega golpe de Estado: 'reposição da legalidade constitucional'
    Colômbia reconhece Jeanine Áñez como presidente interina da Bolívia
    Evo Morales condena Trump por reconhecer governo autoproclamado na Bolívia
    Sobe para 10 número de mortos em conflito político na Bolívia
    Tags:
    Evo Morales, ruptura da ordem constitucional, ruptura democrática, ruptura, Juan Guaidó, Argentina, Venezuela, Bolívia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar