23:33 09 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Manifestante segura uma bomba de gás lacrimogênio nas mãos, em meio à conflitos entre manifestantes na Bolívia, no dia 5 de novembro

    Forças Armadas são enviadas às ruas na Bolívia para conter protestos

    © REUTERS / David Mercado
    Américas
    URL curta
    16279
    Nos siga no

    O Comandante das Forças Armadas da Bolívia, Williams Kaliman, anunciou nesta segunda-feira (11) que vai enviar soldados às ruas do país para tentar conter os protestos.

    "Vamos empregar a força de forma proporcional contra grupos de vândalos que causam terror à população", anunciou Kalisman em um pronunciamento.

    De acordo com o comandante da polícia, Yuri Calderón, a missão conjunta com as Forças Armadas começará já nesta segunda-feira e só vai terminar "quando se restabelecer a paz em todo território boliviano".

    Após Evo Morales anunciar que renunciaria ao cargo na noite deste domingo (10), militantes favoráveis ao ex-presidente foram ao centro de La Paz onde fizeram barricadas, incendiaram ônibus e entraram em confronto com as forças de segurança.

    O governo do México anunciou nesta segunda-feira que concedeu asilo político a Evo Morales. O país solicitou ao Ministério de Relações Exteriores da Bolívia que permitisse a vinda segura de Evo Morales ao México.

    A Bolívia enfrenta uma crise política desde o dia 20 de outubro, quando Evo Morales havia sido eleito em primeiro turno em eleições gerais, mas protestos violentos e denúncias de fraude na votação fizeram com que os militares pedissem a renúncia de Evo.

    Mais:

    Chanceler do México garante asilo político a Evo Morales
    Camponeses leais a Evo Morales marcham para La Paz
    Especialista: Brasil se excede e relações com Bolívia dependerão de quem assumir presidência
    Tags:
    Evo Morales, Forças Armadas, protestos, Bolívia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar