18:06 09 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Líder norte-coreano, Kim Jong-un, esconde a mão no casaco durante cerimônia de inauguração de estrada de ferro

    Coreia do Norte pega EUA desprevenidos com 'ultimato nuclear', diz mídia americana

    © Sputnik / Vitaly Ankov
    Ásia e Oceania
    URL curta
    12584
    Nos siga no

    No fim do ano expira o "ultimato nuclear" apresentado por Kim Jong-un aos Estados Unidos, mas estes não parecem estar preparados para lidar com uma nova crise: ao invés de fortalecer as alianças com Japão e Coreia do Sul, EUA estão exigindo mais dinheiro de seus aliados, diz jornal norte-americano.

    "Eu não me lembro de um prazo ter sido estipulado... Ah! O prazo dos norte-coreanos?", declarou David Stillwell, responsável pela região da Ásia-Pacífico do Departamento de Estado dos EUA a repórteres no mês passado, admitindo ter se esquecido do prazo imposto por Pyongyang, que expira no fim do ano.

    Os Estados Unidos não pareciam levar a sério a possibilidade de eclosão de uma nova crise na península coreana. Mas, nesta quinta-feira (28), em pleno feriado nacional de Ação de Graças nos EUA, os norte-coreanos decidiram demonstrar que são capazes de desencadear uma crise quando julgam necessário.

    O líder norte-coreano, Kim Jong-un, inspeciona testes de sistema de lançamento de foguetes múltiplos, em 28 de novembro de 2019
    © REUTERS / KCNA
    O líder norte-coreano, Kim Jong-un, inspeciona testes de sistema de lançamento de foguetes múltiplos, em 28 de novembro de 2019

    O novo lançamento de mísseis norte-coreanos realizado nessa semana demonstrou não só que as armas da Coreia do Norte estão mais eficientes, mas também que Pyongyang leva bastante a sério o "ultimato nuclear" que fez aos norte-americanos em outubro.

    De acordo com o ultimato, ou Coreia do Norte e EUA iniciam uma nova rodada de negociações até o fim do ano, ou os norte-coreanos deixam as negociações sobre o programa nuclear e retomam seu programa de desenvolvimento de mísseis nucleares de longo alcance.

    Pagar pela proteção: EUA exigem recursos da Coreia do Sul e Japão

    Conforme notou o jornal Washington Post, a julgar pela maneira como os EUA estão tratando os seus aliados asiáticos – Japão e Coreia do Sul – os americanos não estão preparados para lidar com uma nova crise na península coreana.

    Ao invés de fortalecer os laços com seus aliados regionais, os EUA estão exigindo deles mais dinheiro para financiar a presença militar americana na região.

    O presidente dos EUA exigiu que a Coreia do Sul pague cinco vezes mais aos EUA para cobrir os gastos das tropas americanas estacionadas no país, o que aparentemente ofendeu o líder do país asiático, Moon Jae-in.

    Encontro do Secretario de Defesa dos EUA, Mark Espero, com o seu homólogo sul-coreano, Jeong Kyeong-doo, em Seul, em 15 de novembro de 2019
    © REUTERS / Chung Sung-Jun
    Encontro do Secretario de Defesa dos EUA, Mark Espero, com o seu homólogo sul-coreano, Jeong Kyeong-doo, em Seul, em 15 de novembro de 2019

    Além disso, os EUA reduziram o escopo dos exercícios militares conjuntos com Seul, em uma tentativa de acalmar os ânimos de Pyongyang. Mas, ao invés de aplacar as tensões, a Coreia do Norte decidiu conduzir exercícios militares e realizar demonstrações de força do seu lado da fronteira.

    Trump tampouco poupou o Japão em sua cruzada por recursos asiáticos: o presidente norte-americano solicitou U$ 8 bilhões a Tóquio para manter as tropas dos EUA no país asiático, conforme reportou a Foreign Policy (FP).

    O acordo sobre a presença militar norte-americana no Japão expira em março de 2021, e, segundo a FP, essa parece não ter sido a melhor maneira de iniciar as negociações sobre a sua extensão.

    A postura de Trump para com os seus aliados asiáticos tradicionais é nociva aos interesses de longo prazo dos EUA e benéfica para a Coreia do Norte, que tem interesse no fim da cooperação militar entre Coreia do Sul, Japão e EUA, concluiu o Washington Post.

    Orquestra militar do Exército Popular da Coreia do Norte ensaia sua participação em parada militar, em agosto de 2019
    © Sputnik / Kirill Kallinikov
    Orquestra militar do Exército Popular da Coreia do Norte ensaia sua participação em parada militar, em agosto de 2019

    Nesta quinta-feira (28), a Coreia do Norte realizou testes com o seu sistema de lançamento de foguetes múltiplos KN-25, em meio a exercícios militares na região da fronteira com a Coreia do Sul.

    Os testes demonstraram avanços no sistema norte-coreano e geraram reação negativa tanto na Coreia do Sul, quanto no Japão. O Departamento de Estado dos EUA pediu que a Coreia do Norte "evite provocações" e "faça a sua parte" no processo de desnuclearização da península coreana.

    Mais:

    Kim Jong-un aplaude entusiasmo e capacidade da Força Aérea norte-coreana, diz mídia (FOTOS)
    Surge FOTO de Kim Jong-un com sorriso no rosto e cercado por soldadas aos prantos
    Kim Jong-un sobe monte sagrado a cavalo 'em busca de inspiração' (FOTOS)
    Tags:
    recursos, Japão, Coreia do Sul, EUA, mísseis, prazo, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar