07:40 06 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Exercícios Foal Eagle com militares dos EUA e Coreia do Sul (Foto de arquivo)

    Coreia do Norte avisa: exercícios EUA-Coreia do Sul podem nos levar a retaliar

    © AP Photo / Lee Jin-man
    Ásia e Oceania
    URL curta
    4112
    Nos siga no

    A Coreia do Norte ameaçou nesta quarta-feira retaliar se os EUA prosseguirem com exercícios militares agendados com a Coreia do Sul, aumentando a pressão sobre Washington para mudar de rumo, como um prazo norte-coreano no final do ano para negociar.

    A declaração veio apesar de Washington ter dito na semana passada que o exercício aéreo conjunto planejado para o próximo mês seria reduzido em escopo em relação aos exercícios anteriores.

    "É direito de autodefesa" retaliar qualquer ação que ameace sua soberania e segurança, de acordo com um comunicado da Comissão de Assuntos do Estado norte-coreano, sem dar detalhes.

    É raro a comissão, o órgão supremo presidido pelo líder norte-coreano Kim Jong-un, divulgar uma declaração.

    Na semana passada, um diplomata norte-coreano também culpou a atividade aérea conjunta dos EUA por "jogar água fria" por causa de conversas com Washington. Pyongyang se opõe aos exercícios militares conjuntos EUA-Coreia do Sul, vendo-os como um ensaio para invasão.

    Em sua última declaração, Pyongyang disse que tomou medidas para acalmar as preocupações de Washington, mas que os EUA não reagiram, deixando-a com um "sentimento de traição".

    Em abril, Kim concedeu aos Estados Unidos um prazo de fim de ano para mostrar mais flexibilidade nas negociações paralisadas de desnuclearização com Washington, depois que suas negociações com Trump entraram em colapso em Hanói, no Vietnã, em fevereiro.

    A Coreia do Norte testou os limites do engajamento com uma série de lançamentos de mísseis, encorajados pelo inquérito de impeachment contra Trump em Washington, dizem analistas e autoridades.

    Mais:

    EUA querem que Seul pague US$ 4,7 bi para cobrir custos de seus militares na Coreia do Sul
    Coreia do Norte: primeiro-ministro do Japão é um 'idiota' e não deve 'nem sonhar' em ir a Pyongyang
    Brasil aos olhos da Coreia do Sul: 'Economias são perfeitamente complementares', diz embaixador
    Tags:
    relações bilaterais, exercícios aéreos, diplomacia, desnuclearização, acordo de paz, Donald Trump, Kim Jong-un, Estados Unidos, Coreia do Sul, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar