07:37 06 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Alberto Fernández, presidente eleito da Argentina

    Argentina: Fernández diz que gabinete está 'basicamente definido' após se reunir com Kirchner

    © REUTERS / Agustin Marcarian
    Américas
    URL curta
    3103
    Nos siga no

    Após se reunir com sua vice, Cristina Kirchner, Fernández declara estar próximo de definir seu gabinete. Máximo Kirchner, filho da vice-presidente e membro influente da frente política que governará a Argentina a partir de janeiro, participou da reunião.

    De acordo com assessores do presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández, o encontro com Cristina Kirchner tratou das declarações do Papa Francisco sobre o conceito de lawfare, da questão boliviana, além de "assuntos pessoais".

    "Cristina é muito respeitosa, não pediu nada e não objetou a nada [...] as definições [das nomeações para o Gabinete] passam pelo presidente", declarou uma fonte ligada ao presidente eleito ao jornal Clarín.

    O filho da vice-presidente, Máximo Kirchner, compareceu à reunião e está cotado para liderar a bancada da coalizão ganhadora das últimas eleições argentinas, a Frente de Todos, na Câmara dos Deputados. Quando perguntado sobre a indicação de Máximo, Alberto respondeu: "Isso se resolve no Congresso".

    O tema militar, o golpe boliviano, o papel do Chile e do Equador e o jogo político com Jair Bolsonaro ganharam centralidade no debate sobre a formação do novo governo argentino, reportou o jornal.

    Cristina Kirchner é aclamada durante comício em Buenos Aires
    © AFP 2019 / Eitan Abramovich
    Cristina Kirchner é aclamada durante comício em Buenos Aires

    Fernández convocou o deputado Agustín Rossi para o Ministério da Defesa, área que se tornou crítica para o novo governo, considerando o papel das Forças Armadas no recente golpe de Estado na Bolívia. A indicação do deputado contradiz a "regra" imposta pelo futuro presidente de não indicar ex-ministros, sobretudo da era Kirchner, ou membros do legislativo para o seu gabinete.

    O presidente eleito estuda a possibilidade de formar um superministério da Economia, que incluiria as secretarias de Produção e Agricultura, mas o remanejamento permanece indefinido, segundo o jornal.

    A coalisão Frente de Todos uniu todos os setores do peronismo e da esquerda argentina para derrotar o atual presidente Mauricio Macri nas eleições presidenciais de 2019
    © AP Photo / Gustavo Garello
    A coalisão Frente de Todos uniu todos os setores do peronismo e da esquerda argentina para derrotar o atual presidente Mauricio Macri nas eleições presidenciais de 2019

    Outros nomes cotados são o de Eduardo "Wado" de Pedro para o Ministério do Interior, Marcela Losardo para a Justiça, Diego Gorgal para a Segurança, Daniel Arroyo para o Desenvolvimento, Ginez González García para a Saúde e Nicolás Trotta para a Educação.

    O peronista Alberto Fernández foi eleito presidente da Argentina com 48% dos votos válidos, derrotando o atual presidente do país, Maurício Macri, que obteve 40,5% dos votos. O novo governo deve tomar posse no dia 10 de dezembro.

    Mais:

    Voo entre Malvinas e SP é chance para 'diplomacia de Estado', diz analista
    Bolsonaro posta tweet sobre fechamento de multinacionais na Argentina e apaga minutos depois
    Análise: recusa de Bolsonaro em ir à posse de Fernández afetará principalmente Argentina
    Tags:
    gabinete de ministros, gabinete, Alberto Fernández, Cristina Kirchner, Argentina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar