15:23 17 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    1240
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil está de olho nas notícias mais importantes desta terça-feira (9), marcada pela decisão de Fachin sobre Lula e Moro, pela revisão das sanções impostas pelos EUA contra a Venezuela e possível entrega da tocha olímpica sem espectadores.

    Estado de São Paulo bate recorde de internação por COVID-19

    Nesta segunda-feira (8), o estado de São Paulo registrou número recorde de internações por COVID-19, com mais de 19 mil pacientes hospitalizados. A taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) atingiu nível recorde de 80,9%. Cerca de 291 pessoas morrem por dia no estado em decorrência da doença. A prefeitura da cidade de Taboão da Serra, localizada na Grande São Paulo, informou que, nos últimos quatro dias, nove pessoas infectadas pela COVID-19 morreram aguardando leito de UTI na cidade. O sistema de saúde do município encontra-se com ocupação máxima. O Brasil registrou mais 1.114 mortes e 36.923 casos de COVID-19, totalizando 266.614 óbitos e 11.055.480 diagnósticos da doença, informou consórcio entre veículos de imprensa e secretarias estaduais de saúde.

    Mulheres seguram cruzes durante protesto contra a resposta do presidente Jair Bolsonaro à pandemia de COVID-19, em São Paulo, 8 de março de 2021
    © REUTERS / Amanda Perobelli
    Mulheres seguram cruzes durante protesto contra a resposta do presidente Jair Bolsonaro à pandemia de COVID-19, em São Paulo, 8 de março de 2021

    Fachin anula condenações de Lula e favorece Moro em decisão monocrática

    Nesta segunda-feira (8), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, considerou a 13ª Vara de Curitiba como incompetente para julgar quatro processos envolvendo o ex-presidente Lula. Com a decisão, as condenações de Lula foram anuladas e o ex-presidente retoma seus direitos políticos. Os processos contra Lula serão enviados à Justiça Federal do Distrito Federal, que vai decidir sobre o futuro das investigações. Por outro lado, a decisão monocrática extinguiu 14 processos que questionavam a parcialidade do ex-juiz Sergio Moro, em função de sua entrada no governo Bolsonaro em 2019. O ministro Gilmar Mendes, no entanto, deve ignorar a decisão de Fachin e julgar a suspeição de Moro, uma vez que o processo contra o ex-juiz já está em andamento e deve preceder decisões sobre competência de foro, reportou a revista Época. 

    Projeção em fachada pede julgamento justo para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em São Paulo, 8 de março de 2021
    © REUTERS / Carla Carniel
    Projeção em fachada pede julgamento justo para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em São Paulo, 8 de março de 2021

    Pessoas vacinadas contra a COVID-19 nos EUA poderão se reunir sem máscara

    Nesta segunda-feira (8), a administração Joe Biden informou que pessoas vacinadas contra a COVID-19 poderão se reunir em ambientes fechados sem o uso de máscaras. No entanto, as reuniões devem ser reduzidas a pequenos grupos e os vacinados devem usar máscaras em ambientes públicos. "Ainda estamos no meio de uma pandemia séria e mais de 90% da nossa população não está totalmente vacinada", disse a diretora do Centro de Prevenção e Controle de Doenças dos EUA (CDC, na sigla em inglês), Rochelle Walensky. "Portanto, todas as pessoas, vacinadas ou não, devem continuar evitando reuniões de médio e grande porte e viagens não essenciais." Segundo ela, cerca de 31 milhões de norte-americanos já foram vacinados contra a COVID-19 utilizando inoculantes da Pfizer, Moderna e Johnson & Johnson.

    Manifestante protesta durante julgamento do ex-policial Derek Chauvin, acusado de assassinar George Floyd, em Nova York, 8 de março de 2021
    © REUTERS / Shannon Stapleton
    Manifestante protesta durante julgamento do ex-policial Derek Chauvin, acusado de assassinar George Floyd, em Nova York, 8 de março de 2021

    EUA vão rever sanções unilaterais contra Venezuela, mas 'sem pressa' para revogar

    Nesta segunda-feira (8), alto funcionário do governo norte-americano revelou a repórteres que o país vai rever as sanções unilaterais impostas contra a Venezuela. "Vamos rever as sanções para garantir que elas sejam eficientes, uma vez que o foco das sanções deve ser pressionar o regime [...] e não penalizar e punir o povo venezuelano de forma desnecessária", disse o servidor. "Mas não há pressa em revogar as sanções." De acordo com ele, as sanções impostas contra a Venezuela durante a administração Trump não atingiram os resultados eleitorais esperados. Em uma mudança de estratégia, a administração Biden informou que concederá status de proteção temporária a cerca de 320 mil venezuelanos vivendo em território norte-americano.

    Manifestantes protestam nas ruas da capital da Venezuela, Caracas, durante o Dia Internacional das Mulheres, 8 de março de 2021
    © REUTERS / Leonardo Fernandez Viloria
    Manifestantes protestam nas ruas da capital da Venezuela, Caracas, durante o Dia Internacional das Mulheres, 8 de março de 2021

    Cerimônia de entrega da tocha olímpica em Tóquio será sem espectadores, diz mídia local

    Os organizadores dos Jogos Olímpicos de Tóquio estudam realizar a cerimônia de entrega e acendimento da tocha olímpica sem espectadores, a fim de evitar a transmissão de COVID-19, informou a emissora NHK, nesta terça-feira (9). No dia 25 de março, a tocha iniciará seu percurso a partir da cidade de Fukushima e chegará a Tóquio no dia 23 de julho. A cidade de Fukushima foi escolhida para enfatizar os esforços locais de reconstrução após terremoto, tsunami e acidente nuclear em 2011. A cerimônia de entrega da tocha em Tóquio, no entanto, deve ocorrer sem espectadores. Adiada em função da pandemia da COVID-19, a celebração dos Jogos Olímpicos está programada para ocorrer entre os dias 23 de julho e 8 de agosto de 2021.

    Manifestantes protestam contra instalações nucleares para marcar os dez anos do acidente de Fukushima em Tóquio, 7 de março de 2021
    © REUTERS / Issei Kato
    Manifestantes protestam contra instalações nucleares para marcar os dez anos do acidente de Fukushima em Tóquio, 7 de março de 2021

    Guiné Equatorial confirma 98 mortes por explosões em base militar

    Cerca de 98 pessoas morreram e 615 ficaram feridas após uma série de explosões em base militar de Nkoa Ntoma, na cidade de Bata, informou o vice-presidente do país, Nguema Obiang Mangue. Neste domingo (7), explosão de estoques de munição e explosivos devastaram a instalação militar e causaram onda de choque que danificou parte da cidade de Bata, de cerca de 800 mil habitantes. "A cidade de Bata foi vítima de negligência por parte da equipe responsável pelo armazenamento de dinamites, explosivos e munições", escreveu o vice-presidente em rede social. Um morador da cidade revelou à AFP que "as casas ficaram queimando a noite toda e ouvíamos explosões menores o tempo todo". Segundo a fonte, pessoas vivendo a um raio de dois a quatro quilômetros da explosão ainda não puderam retornar às suas casas.

    Mais:

    Lava Jato golpeou democracia e destruiu economia, diz cientista política
    Defesa do Irã para Israel: 'Arrasaremos Tel Aviv e Haifa até o chão' se Teerã for atacada
    PGR prepara recurso contra anulação de condenações de Lula
    Tags:
    Guiné Equatorial, Japão, Venezuela, Sérgio Moro, Edson Fachin, Lula, Instituto Lula, pandemia, COVID-19, vacinação, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar