11:43 13 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    271
    Nos siga no

    O chanceler venezuelano, Jorge Arreaza, disse à Sputnik que a Venezuela continuará seu desenvolvimento político, apesar das sanções dos EUA e de quaisquer outras ações que Washington tome contra o país.

    O ministro das Relações Exteriores declarou neste sábado (6) que os Estados Unidos e União Europeia têm uma atitude de "mentiras ideologizadas" em relação a Caracas, tendo em vista que a Venezuela não representa uma ameaça a outros membros da comunidade internacional.

    De acordo com o chanceler, Washington continua seguindo uma política de sanções unilaterais contra a nação latino-americana, que seria classificada pelos EUA como uma "ameaça extraordinária".

    "Quanto ao que esperar do [secretário de Estado norte-americano Anthony] Blinken e dos Estados Unidos, eu diria nas palavras de José Gervasio Artigas, o grande uruguaio: 'Não esperamos nada de ninguém, apenas de nós mesmos'. Avançaremos independentemente do que Washington faça ou deixe de fazer em relação à Venezuela", afirmou.

    No início desta semana, Blinken disse ao líder da oposição venezuelana Juan Guaidó que os EUA apoiam a pressão multilateral contínua sobre o presidente Nicolás Maduro. Além disso, o secretário de Estado destacou a importância da transição democrática na Venezuela.

    Juan Guaidó, líder da oposição venezuelana (foto de arquivo)
    © AP Photo / Andrea Hernandez Briceño
    Juan Guaidó, líder da oposição venezuelana (foto de arquivo)

    Washington não reconhece os resultados das eleições parlamentares realizadas no país em dezembro, que foram vencidas pelo partido liderado pelo presidente Maduro.

    Apesar de Caracas expressar esperanças de que a nova administração dos Estados Unidos comece a normalizar as relações com a Venezuela, Blinken disse a Guaidó que Washington não mudaria sua posição em relação a Guaidó como o "líder interino da Venezuela".

    Mais:

    Venezuela refuta acusações de violação de espaço aéreo da Guiana
    Em reunião digital, Maduro e Bachelet debatem os direitos humanos na Venezuela
    Embaixadora da UE expulsa da Venezuela: analistas avaliam quem perde mais no embate diplomático
    Venezuela insta Reino Unido a 'deixar de interferir' nos assuntos internos do país
    Tags:
    sanções, União Europeia, EUA, Nicolás Maduro, Juan Guaidó, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar