18:26 25 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    101130
    Nos siga no

    O presidente Jair Bolsonaro se pronunciou nesta segunda-feira (8) sobre a anulação das condenações contra Lula, que torna o ex-presidente novamente elegível.

    Em entrevista à TV Bandeirantes, Bolsonaro disse que a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin é "ruim para o Brasil" por descredenciar o sistema judiciário.

    "Descrédito para a Justiça é muito ruim para o Brasil" afirmou o presidente.

    Bolsonaro afirmou ainda que acredita que a decisão monocrática passará "no mínimo" pela Segunda Turma do STF, que é formada por Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski, Kássio Nunes Marques e Gilmar Mandes, além de Fachin.

    "A partir do momento que você diga que o Lula [...] Que foi tudo anulado, é dizer que não houve petrolão, não houve roubalheira em várias estatais", disse Bolsonaro.
    Edson Fachin, ministro do Supremo Tribunal Federal
    © AP Photo / Eraldo Peres
    Edson Fachin, ministro do Supremo Tribunal Federal

    A decisão de Fachin anula todos os processos que envolvem o ex-presidente Lula na Lava Jato: os casos do tríplex do Guarujá, do sítio de Atibaia e também das doações ao Instituto Lula. Esses processos agora serão analisados pela Justiça Federal do Distrito Federal, que deve reavaliar a validade das provas.

    É esperado, no entanto, que a Procuradoria-Geral da República (PGR) recorra da decisão de Fachin.

    Além de Bolsonaro, quem também reagiu à decisão de Fachin foi o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP). Deixando críticas ao ex-juiz Sergio Moro, Lira disse que Lula "pode até merecer" a anulação, mas "Moro, jamais". A decisão de Fachin supostamente retira o objeto das ações de suspeição contra o ex-juiz, mas o julgamento no STF ainda pode acontecer.

    Mais:

    Sem evidências, Bolsonaro diz que até o final do ano 'acabou o vírus'
    Governo Bolsonaro oficializa indicação de 6 pessoas para conselho da Petrobras
    Bolsonaro diz que quer 'democracia', mas alguns estão 'se excedendo'
    Mãe de Jair Bolsonaro recebe a 2ª dose da CoronaVac
    Tags:
    Jair Bolsonaro, Brasil, Brasília, Lula, STF, Edson Fachin
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar