00:02 15 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    1261
    Nos siga no

    Ano passado, Donald Trump acusou o TikTok de fornecer a Pequim dados de cidadãos dos EUA e deu um prazo para que a empresa encontrasse um parceiro adequado nos EUA ou, caso contrário, seria fechada.

    A Casa Branca retirou nesta quarta-feira (9) as ordens executivas do ex-presidente Donald Trump (2017-2021) que tentavam banir os populares aplicativos chineses TikTok e WeChat. O governo Biden conduzirá sua própria análise com o objetivo de identificar riscos de segurança nacional em aplicativos vinculados à China.

    Um comunicado da Casa Branca disse que, em vez de banir os aplicativos populares, o governo Biden levaria a cabo uma "estrutura de decisão baseada em critérios e uma análise rigorosa e fundamentada em evidências para lidar com os riscos" de aplicativos da Internet controlados por entidades estrangeiras.

    Uma nova ordem executiva do presidente dos EUA, Joe Biden, instrui o Departamento de Comércio norte-americano a realizar o que os funcionários da Casa Branca descrevem como uma análise "baseada em evidências" de transações envolvendo aplicativos que são fabricados ou fornecidos ou controlados pela China. As autoridades dos EUA estão particularmente preocupadas com aplicativos que coletam dados pessoais dos usuários ou têm conexões com atividades militares ou de inteligência chinesas, reporta a agência AP.

    Departamento de Comércio dos EUA também fará recomendações sobre como proteger as informações genéticas e de saúde pessoais dos norte-americanos e abordará os riscos de certos aplicativos de software conectados à China ou outros adversários, afirmaram altos funcionários da administração à mídia.

    Donald Trump assina documentos na Casa Branca
    © AP Photo / Susan Walsh
    Donald Trump assina documentos na Casa Branca

    Guerra contra aplicativos

    Em setembro do ano passado, a empresa chinesa ByteDance, proprietária do aplicativo TikTok, entrou com uma queixa no tribunal distrital federal dos EUA contestando a decisão de Washington de bloquear downloads do aplicativo nos EUA.

    A queixa judicial havia sido uma resposta às ordens executivas do então presidente Donald Trump que impediam efetivamente os usuários dos EUA de baixarem o TikTok e o WeChat a partir de 20 de setembro de 2020. Trump tinha definido 12 de novembro do ano passado como prazo para o TikTok encontrar um parceiro dos EUA ou encerrar suas atividades no país.

    Trump acusava o TikTok e o WeChat de serem ferramentas do Partido Comunista Chinês e afirmava que os usuários desses aplicativos nos EUA poderiam ter seus dados pessoais roubados, algo negado pelos chineses.

    Mais:

    Juíza proíbe Departamento de Justiça de banir downloads da app chinesa WeChat nos EUA
    Itália toma medidas contra TikTok após morte de uma garota
    Tribunal russo multa TikTok em mais de US$ 30 mil por não exclusão de informações sobre protestos
    Tudo por fama: tiktoker se filma pegando caravela-portuguesa altamente venenosa (VÍDEO)
    Tags:
    Joe Biden, Donald Trump, China, EUA, WeChat, TikTok
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar