06:04 14 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    1312
    Nos siga no

    O Ministério das Relações Exteriores da Rússia destacou recentemente que à medida que a acessibilidade do Ártico aumenta, a presença militar estrangeira na região também cresce.

    A Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) continuará a aumentar a sua presença na região ártica por causa das alterações climáticas e das atividades da Rússia e da China, afirmou o secretário-geral da Aliança Atlântica, Jens Stoltenberg.

    "A região do Ártico sempre foi importante para a OTAN. Temos cinco aliados da OTAN que são nações do Ártico, e a OTAN sempre esteve no Ártico. Mas o derretimento do gelo combinado com o aumento da presença militar russa, eles estão reabrindo algumas bases antigas da Guerra Fria, e o crescente interesse e presença dos chineses, é claro, apenas reforçam a importância do Ártico", disse Stoltenberg nesta segunda-feira (7) ao Conselho Atlântico.

    O secretário-geral da OTAN acrescentou que novas rotas marítimas potenciais entre a Europa e a Ásia, causadas pelo gelo derretido na região, também são importantes para a segurança da Aliança Atlântica e, como tal, os países da área estão investindo em submarinos e outras tecnologias militares necessárias para manter uma presença no Ártico.

    Secretário-Geral da OTAN, Jens Stoltenberg, fala durante conferência de imprensa na sede da OTAN em Bruxelas, Bélgica, em 3 de junho de 2021
    © AFP 2021 / Stephanie Lecocq/EPA
    Secretário-Geral da OTAN, Jens Stoltenberg, fala durante conferência de imprensa na sede da OTAN em Bruxelas, Bélgica, em 3 de junho de 2021

    O Ministério das Relações Exteriores da Rússia apontou recentemente que à medida que a acessibilidade do Ártico cresce, devido às mudanças climáticas e ao derretimento do gelo, observa-se a tendência de aumento da presença militar estrangeira na região, nas proximidades imediatas das fronteiras russas.

    Moscou afirma que no Ártico não há potencial para conflitos, nem desafios que tenham uma dimensão militar e requeiram a presença militar de países que não são da região.

    Mais:

    Soldados da OTAN 'atacam' fábrica de produção de óleo por engano na Bulgária (VÍDEO)
    Rússia criará 20 novas unidades militares em resposta às ações ofensivas da OTAN
    OTAN diz que continuará treinando forças de segurança do Afeganistão após retirada de tropas do país
    Forças Armadas da Rússia tornarão fronteiras ocidentais 'insuperáveis' para OTAN, diz especialista
    Tags:
    Ártico, Jens Stoltenberg, EUA, Rússia, China, OTAN
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar