Moscou sobre Crimeia: Rússia não pretende devolver seus territórios

© Sputnik / Sergey MalgavkoOrla de Yalta em janeiro, Crimeia
Orla de Yalta em janeiro, Crimeia - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Rússia não pretende devolver a Crimeia, península do mar Negro que votou a favor da separação da Ucrânia e se juntar à Rússia no início de 2014, disse a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores russo, Maria Zakharova, nesta quarta-feira (15).

Crimeia, Rússia. Vista de Yalta a partir do mar Negro - Sputnik Brasil
Casa Branca: Donald Trump espera que Rússia devolva Crimeia para a Ucrânia
"Nós não devolvemos nossos territórios, a Crimeia é território da Federação da Rússia", disse Zakharova em uma coletiva de imprensa semanal, reafirmando a posição de Moscou de que a questão está definitivamente fechada.

Na terça-feira (14), o porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, disse que o presidente dos EUA, Donald Trump, espera que a Rússia acalme a situação no Leste da Ucrânia e devolva a Crimeia para a Ucrânia.

Durante a campanha eleitoral, Trump afirmou que "consideraria" reconhecer a Crimeia como parte da Rússia após o referendo realizado na península, acrescentando que os habitantes da Crimeia queriam viver na Rússia.

Embaixador da Rússia na ONU, Vitaly Churkin, dá voto de veto no Conselho de Segurança - Sputnik Brasil
'Não esperamos milagres', diz representante russo na ONU
Por sua vez, a possibilidade de "reiniciar" as relações russo-americanas não está posta de parte, mas as declarações de Trump sobre a Crimeia mostram que as expectativas em relação ao novo presidente foram exageradas, acredita o chefe do Comitê para os Assuntos Internacionais da câmara baixa do parlamento russo, Leonid Slutsky.  

O deputado também salientou que a retórica de Trump é compreensível, já que reflete a postura da maioria dos políticos norte-americanos. Slutsky acredita que não valia a pena esperar que o novo presidente entrasse em conflito com a elite política dos EUA no início da sua carreira política. 

Segundo o deputado, as relações entre Moscou e Washington vão melhorar, mas o processo será duradouro:

"A renúncia de Flynn e afirmações do porta-voz do presidente, inclusive quando este disse que a Rússia deve 'devolver a Crimeia' mostram que, em Washington, a inércia da orientação contra a Rússia continua."

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала