21:37 18 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Sociedade
    URL curta
    0 20
    Nos siga no

    A OMS e um grupo de entidades parceiras informaram nesta terça-feira (12) que criarão um estoque global de vacinas contra o vírus do ebola para combater futuros surtos da doença.

    Em comunicado, Organização Mundial da Saúde (OMS), Médicos Sem Fronteiras, UNICEF e Federação Internacional da Cruz Vermelha e das Sociedades do Crescente Vermelho disseram que vão estabelecer uma reserva de emergência de cerca de 500.000 doses, segundo publicou a AP.

    Quase 7.000 estão disponíveis agora e mais serão adicionadas ao longo do ano. O apoio financeiro para o estoque de vacinas foi concedido pela aliança Gavi.

    Sede da Organização Mundial da Saúde (OMS), em Genebra, Suíça
    © REUTERS / Denis Balibouse
    Sede da Organização Mundial da Saúde (OMS), em Genebra, Suíça

    A vacina contra o ebola que está sendo reservada é produzida pela Merck. Antes de ser licenciada, era usada para combater surtos em países da África, sob um protocolo de "uso compassivo". A OMS e seus parceiros controlam outras reservas de imunizantes para doenças como meningite e febre amarela.

    As vacinas serão armazenadas na Suíça, onde estarão prontas para embarque assim que a OMS e seus parceiros receberem um pedido dos países afetados pela enfermidade. As agências dizem que qualquer decisão de entrega do imunizante será tomada em 48 horas e que a meta é disponibilizá-lo em no máximo uma semana.

    Agente de saúde aplica vacina experimental contra o ebola na Libéria
    © REUTERS / JP/KR
    Agente de saúde aplica vacina experimental contra o ebola na Libéria

    As vacinas serão reservadas para as pessoas com maior risco de infecção durante uma epidemia, incluindo aquelas expostas à doença e profissionais de saúde que tratam de pacientes e seus contatos mais próximos, como por exemplo familiares.

    Mais:

    Método inovador que 'engana' mosquitos é criado para combater doenças transmitidas por insetos
    Fome e vacina podem gerar nova onda de migração no mundo pós-COVID, alerta chefe da Cruz Vermelha
    Chefe da OMS pede que países ricos compartilhem vacinas em excesso
    Tags:
    vacina, ebola, doença, saúde, Crescente Vermelho, Cruz Vermelha, Médicos Sem fronteiras, Unicef, OMS
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar