20:11 26 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    0 200
    Nos siga no

    Termômetros moleculares ultrassensíveis para uso médico foram desenvolvidos por uma equipe de cientistas russos e finlandeses com a participação de especialistas da Universidade Nacional de Ciência e Tecnologia (NUST MISIS).

    De acordo com os autores do estudo, o aparelho aumentará a precisão e a eficiência do tratamento contra vários tumores, como o câncer.

    Os pesquisadores explicaram que algumas terapias promissoras contra tumores, como as fotodinâmicas e fototérmicas, exigem medições precisas e regulares da temperatura de sistemas vivos em nível molecular.

    Segundo eles, os termômetros existentes não fornecem alta precisão de medição.

    "Termômetros moleculares são uma classe de substâncias cujas características ópticas mudam com a temperatura. Sintetizamos duas dessas substâncias e estudamos suas propriedades luminescentes: o espectro de emissão e a 'vida útil' das mudanças de fluorescência durante o aquecimento. Isso é o suficiente para registrar as mudanças de temperatura com precisão de 0,1 grau. O mesmo equipamento usado para administrar uma droga injetada exibe a temperatura", disse Roman Akasov, especialista do laboratório de Nanomateriais Biomédicos do NUST MISIS.
    Imagem ilustrativa de cientista em laboratório
    © Foto / Pixabay
    Imagem ilustrativa de cientista em laboratório

    As substâncias sintetizadas pertencem à classe das porfirinas solúveis em água, já bastante estudadas, e, de acordo com os autores do estudo, ao contrário de outros termômetros moleculares, são simples de usar para síntese e modificação.

    Após avaliar a toxicidade dos termômetros obtidos, os cientistas descobriram que um dos compostos é bastante tóxico quando irradiado com laser. Segundo os autores, isso permite que a substância seja usada não apenas como termômetro molecular, mas também como um fármaco capaz de combater células tumorais.

    Mais:

    Governo gastou pelo menos R$ 6,1 milhões em propaganda para tratamento precoce de COVID-19
    Aspirina poderia ajudar na prevenção e no tratamento da COVID-19, mostra estudo israelense
    COVID-19: sem tratamento ainda, máscara pode fazer mais do que UTI, diz infectologista
    Tags:
    câncer, tumor, tumores, tratamento, Rússia, Finlândia, cientistas, estudo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar