Caros leitores, com grande alegria anunciamos que a Voz da Rússia está mudando de nome e se mudando para um novo site. Nós agora seremos conhecidos como a agência de notícias e rádio Sputnik. Vocês podem encontrar todas as últimas notícias da nossa agência em http://br.sputniknews.com. Por favor, atualizem seus favoritos e fiquem conosco!
16 Abril 2011, 19:11

Circo Moderno: Arte de Altas Tecnologias

Circo Moderno: Arte de Altas Tecnologias

Pouco antes do Dia Mundial do Circo comemorado em 16 de abril, foi realizada em Moscou, capital da Rússia, a cerimônia de apresentação de um museu virtual do circo. A criação de tal museu virtual é uma ideia muito oportuna.

Pouco antes do Dia Mundial do Circo comemorado em 16 de abril, foi realizada em Moscou, capital da Rússia, a cerimônia de apresentação de um museu virtual do circo.

A criação de tal museu virtual é uma ideia muito oportuna. Disso estão convencidores os autores do projeto da companhia estatal “Rosgostsirk”. O museu relatará a história gloriosa e as ricas tradições do circo nacional e o dia-a-dia dos seus mestres contemporâneos, tudo isso na linguagem mais aceita pela juventude, pelo novo público em geral. O museu ocupará dois andares, podendo-se ver no primeiro gravações de atuações circenses de atores afamados não somente russos, como também estrangeiros, as quais já somam mais de mil e quinhentas. E no segundo piso deverá ser instalado um cibercafé – conta Aleksandr Kalmikov, diretor da “Rosgostsirk”. E continua:

Estamos realizando este projeto principalmente para a juventude com sua paixão pelos computadores – diz o especialista. – O mais famoso museu desse tipo da Rússia é o criado no circo na Rua Fontanka, em São Petersburgo. Seu grande valor para nós consiste em ter sido organizado por próprios atores circenses, tendo os famosos irmãos Zapachnie e Anatoli Kornilov doado para sua coleção com suas fotos, trajes e livros. Existe um museu estupendo nos Estados Unidos e um outro museu no entorno de Monte Carlo, o qual guarda uma artefatos raríssimos do circo europeu a começar do século XVII. Lá tem um traje de Fred Aster, um par de sapatos de Charlie Chplin, aquele que ele usou durante seu trabalho no Teatro de Variedades de Londres, uma raridade que faz arrepiar a pele de tanta emoção... Recebemos desses museus todos fotos de todas as peças neles expostas! Mas, repito, nosso museu será só virtual. Não conheço outro análogo no mundo.

Seria difícil imaginar quantos materiais interessantes sobre o circo russo nele serão apresentados. As famosas dinastias dos ilusionistas Kio e domadores de animais das famílias Durov e Zapachni... E como era ovacionado ainda na época soviética o “Circo de Ursos” de Valentin Filatov! E como estão sendo hoje aplaudidos os equilibristas, os malabaristas e os acrobatas aéreos russos! E também os palhaços! Isso sobretudo na China, que não tem sua própria arte da palhaçada.

O circo vai se desenvolvendo impetuosamente, passando a ocupar nos nossos dias umas posições tecnológicas de vanguarda – diz convencido o domador Askold Zapachni, um continuador da célebre dinastia. E argumenta:

O circo já não é um simples divertimento para os miúdos, agora é uma Arte – comenta o ator. – Outrora, era uma espécie de nau capitânea a romper a Cortina de Ferro para trazer ao País uma grande receita em divisas fortes. Estamos certos de que o circo russo está preparado para ir a par e passo com o tempo e que desde já emprega as tecnologias mais evoluídas.

O circo moderno não são somente uns truques e números, são uns verdadeiros espetáculos com uma encenação séria voltadas para um público atento e artisticamente avançado. Tal público existe na Rússia. Não por acaso que ultimamente o célebre Cirque du Soleil canadense, famoso por suas encenações complexas e às vezes filosóficas tem vindo a amiudar suas turnês pela Rússia. Aliás, entre 60 e 70 por cento dos atores desse circo que se diz canadense são russos. E um dos seus números mais brilhantes, denominado “Balouço Russo”, é interpretado por atores russos.

Não raro, atores circenses russos também criam em sua própria terra uns espetáculos não tradicionais. Só indicar, por exemplo, as cenas montadas pelos irmãos Zapachni inspiradas no tema da lenda ancestral de Camelot. Entretanto, não se propõem abandonar os espetáculos com animais amestrados, uma tradição importantíssima do circo russo. Por sinal, para destruir o mito sobre os maus tratos dados pelos atores circenses aos seus pupilos para forçá-los a obedecer e a executar uns truques complicadíssimos, a administração do novo museu virtual decidiu organizar reportagens ao vivo sobre as aulas dadas por domadores aos seus animais em circos russos.

  •  
    E recomendar em