08:51 25 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    3356
    Nos siga no

    O Parlamento do Egito aprovou por unanimidade nesta segunda-feira (20) o possível envio de tropas do país para realizar missões de combate fora do Egito.

    O Parlamento discutiu os resultados de uma reunião do Conselho de Segurança do Egito, realizada no domingo (19) sob a liderança do presidente Abdel Fattah al-Sisi, e as ameaças ao Estado vindas do oeste, segundo Al-Jazeera.

    A questão foi debatida a portas fechadas e sem a presença da imprensa.

    Segundo a Constituição egípcia, o presidente do país pode declarar guerra ou enviar tropas para realizar uma missão de combate fora do país depois de obter o consentimento do Parlamento.

    Na quinta-feira (16), al-Sisi teve agenda no Cairo com anciãos e líderes de tribos da Líbia. A reunião foi realizada como parte de uma conferência intitulada "Egito e Líbia: um povo e um destino". Durante o evento, representantes de tribos da Líbia confirmaram o pedido ao Egito para apoiar o Exército e as tribos da Líbia na libertação do país.

    No final de junho, al-Sisi anunciou que seu país estava pronto para ajudar as tribos da Líbia na luta contra a interferência estrangeira, treinando e armando-as. O presidente também observou que qualquer intervenção direta do Egito na Líbia agora tem legitimidade sob o direito internacional.

    Na semana passada, o Egito realizou um exercício militar de larga escala na fronteira com a Líbia.

    Mais:

    França suspende participação em missão da OTAN devido à conduta da Turquia na Líbia
    BNDES libera R$ 5 bilhões em créditos para micro, pequenas e médias empresas
    Alemanha, França e Itália ameaçam impor sanções por violação de embargo de armas na Líbia
    Japão libera FOTO de novo míssil antinavio que poderia ser usado contra China, segundo mídia
    Cerca de 160 mercenários são presos no Sudão a caminho da Líbia
    Tags:
    aprovação, militar, Líbia, Egito
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar