21:08 03 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    31121
    Nos siga no

    O comandante do Hezbollah, milícia xiita libanesa, Ali Mohammed Younis, foi assassinado por desconhecidos no sul do Líbano neste sábado (4) relata a agência iraniana Tasnim.

    Younis era "responsável por recrutar espiões e colaboradores", de acordo com informações não oficiais, escreve a mídia iraniana.

    O comandante do Hezbollah foi assassinado a sul de Nabatiyeh, o seu corpo foi encontrado na beira da estrada com ferimentos causados por faca e balas.

    Ali Mohammed Younis era um colaborador próximo do general Qassem Soleimani, chefe da Força Quds do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica, morto em um ataque aéreo dos EUA em janeiro passado, escreve a agência iraniana Tasnim.

    Anteriormente o Pentágono ordenou aos comandantes militares que se preparassem para uma escalada no Iraque, informou The New York Times na sexta-feira (27), citando altos responsáveis anônimos que afirmam estar familiarizados com a diretiva. O documento ordenava alegadamente a destruição de um grupo de milícias apoiado pelo Irã.

    O assassinato do general Qassem Soleimani aumentou a tensão entre Teerã e Washington. Em retaliação, o Irã atacou bases usadas pelos norte-americanos no Iraque.

    Mais:

    Hezbollah promete resposta coordenada ao assassinato de Soleimani
    Administração Trump é a mais arrogante e corrupta da história dos EUA, diz líder do Hezbollah
    Tags:
    Oriente Médio, Donald Trump, Irã, EUA, Qassem Soleimani, Líbano, Hezbollah
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar