22:31 28 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    779
    Nos siga no

    Esta semana, Ancara anunciou que enviará tropas para apoiar o Governo do Acordo Nacional (GNA) em Trípoli em sua luta contra seus oponentes no leste do país, o Exército Nacional da Líbia.

    O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, pediu à União Europeia que apoie a missão de seu país na Líbia. Argumentando que o governo de Trípole é reconhecido pela ONU, o político alertou que a estabilidade e o futuro político da Europa estão em risco.

    Erdogan acrescentou que se recusar a apoiar o GNA "seria uma traição aos valores fundamentais [da UE]", como apoio à democracia e aos direitos humanos.

    "A Europa encontrará um novo conjunto de problemas e ameaças se o governo legítimo da Líbia cair. Organizações terroristas como Daesh e Al-Qaeda [ambas proibidas na Rússia e em vários outros países], que sofreram uma derrota militar na Síria e no Iraque, encontrarão um terreno fértil para se recuperar [...] Se o conflito continuar, a violência e a instabilidade também alimentarão a migração irregular para a Europa", alertou Erdogan, citado pela Sputnik International.

    O presidente turco argumentou ainda que UE precisa provar ao mundo que "é um ator relevante na arena internacional" e se engajar na resolução do conflito líbio, além de "simplesmente reclamar e expressar preocupação".

    "Os líderes europeus, portanto, devem falar um pouco menos e se concentrar em tomar medidas concretas. Tendo em mente que a Europa está menos interessada em fornecer apoio militar à Líbia, a escolha óbvia é trabalhar com a Turquia, que já prometeu assistência militar", concluiu o presidente.
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar