12:02 16 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    214
    Nos siga no

    O sultão Qaboos bin Said al-Said, que reinou no Omã por quase meio século, morreu aos 79 anos, informou a agência de notícias de Omã neste sábado.

    "Com tristeza [...] a corte do sultanato de Omã lamenta [...] nosso sultão Qaboos bin Said [...] quem Deus escolheu estar ao seu lado na noite de sexta-feira", informou a agência.

    Qaboos, o mais antigo monarca árabe no poder (desde 1970), estava doente há algum tempo e acreditava-se estar sofrendo de câncer de cólon. Ele chegou a viajar para a Alemanha para tratamento.

    O sultanato declarou três dias nacional de luto pela morte do governante.

    Apoiado pelo Ocidente, Qaboos governava o Estado árabe do Golfo desde que ele assumiu após um golpe sem violência em 1970, quando o seu pai, Said bin Taimur, foi derrubado com a ajuda da antiga potência colonial de Omã, o Reino Unido.

    Qaboos não teve filhos e não indicou publicamente um sucessor. Um estatuto de 1996 diz que a família governante escolherá um sucessor dentro de três dias após o trono se tornar vago.

    Se eles não concordarem, um conselho de oficiais militares e de segurança, chefes da Suprema Corte e chefes das duas assembleias colocará no poder a pessoa cujo nome foi secretamente escrito pelo sultão em uma carta selada.

    Mais:

    Netanyahu: Omã autoriza Israel a operar voos em espaço aéreo nacional
    Trump não pode usar incidente no golfo de Omã para guerra com o Irã, afirma democrata
    Príncipe saudita acusa o Irã por ataques a petroleiros no Golfo de Omã
    Tags:
    câncer, Reino Unido, golpe de Estado, Oriente Médio, Qaboos bin Said al-Said, Golfo de Omã, Omã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar