16:51 22 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Sessão do Conselho de Segurança da ONU

    Conselho de Segurança da ONU condena ataques a petroleiros no Golfo de Omã

    © REUTERS / Mike Segar
    Américas
    URL curta
    202
    Nos siga no

    Os Estados-membros do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) condenaram os ataques a petroleiros no Golfo de Omã como uma séria ameaça à navegação marítima internacional e à segurança internacional.

    "Os membros do Conselho condenam o ataque aos petroleiros, que representam uma séria ameaça à navegação marítima e ao suprimento de energia, infringindo as regras internacionais sobre liberdade de navegação e transporte marítimo, além de uma ameaça à paz e segurança internacionais", disse o embaixador do Kuwait na ONU, Mansour Al-Otaibi, que atualmente preside o organismo. 

    Al-Otaibi fez a declaração após o Conselho de Segurança fazer uma reunião fechada nesta segunda-feira (24). 

    No início de junho, dois petroleiros, Kokuka Courageous e Front Altair, foram atacados no Golfo de Omã, perto do Estreito de Ormuz. Enquanto as causas do incidente permanecem desconhecidas, os Estados Unidos afirmam que o Irã atacou os navios.

    Os membros do Conselho de Segurança também pediram a todas as partes envolvidas e atores da região que demonstrem moderação e tomem medidas para reduzir a tensão, disse Al-Otaibi.

    "Os membros do Conselho insistem que as diferenças devem ser tratadas de forma pacífica e através do diálogo", acrescentou.

    O Irã nega as acusações dos Estados Unidos e afirma que Washington busca fabricar um pretexto para uma guerra. 

    Mais:

    Fome petroleira: o que será do mercado petrolífero global caso haja uma guerra entre EUA e Irã?
    Jornal revela desenvolvimento de 'planos clandestinos' dos EUA para conter Irã
    Israel não permitirá que Irã obtenha armas nucleares, afirma Netanyahu
    Pompeo pretende montar 'coalizão internacional' contra Irã
    EUA não respeitam o direito internacional, diz embaixador do Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar