05:39 06 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    717
    Nos siga no

    O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, solicitou nesta quarta-feira (1º) a Yuli-Yoel Edelstein, o presidente do Parlamento, imunidade parlamentar.

    O premiê já foi acusado pelo procurador-geral de Israel, Avichai Mandelblit, por suborno e fraude. Netanyahu alega que as acusações são políticas e visam destituí-lo de seu cargo. 

    "Gostaria de liderar o governo de Israel por muitos anos. Segundo a lei, a imunidade é sempre temporária. A imunidade dá aos representantes do povo proteção temporária do judiciário. Ela dura até que a atual convocação do Knesset [parlamento israelense] pare de funcionar. Se o Knesset termina de trabalhar em três meses [...] então a imunidade acaba", disse o primeiro-ministro.

    Netanyahu foi alvo de várias investigações de corrupção, incluindo alegações de que recebeu presentes caros de vários empresários, implantou uma lei que beneficiaria um dos principais jornais de Israel e apoiou uma regulamentação mais rígida no setor de telecomunicações em troca de cobertura positiva na imprensa.

    A imunidade também pode servir para Netanyahu ganhar tempo. Em 2019, Israel realizou duas eleições, mas nenhum partido conseguiu maioria absoluta e as conversas para formar uma coalizão falharam. Há uma nova eleição prevista para março de 2020. 

    Mais:

    Israel admite erro em ataque que matou 9 pessoas na Faixa de Gaza
    Israel responde ao ataque e atinge instalações do Hamas na Faixa de Gaza
    Israel desenvolve sistema laser para abater drones e balões incendiários
    Israel planeja construir gasoduto submarino para a Europa, diz primeiro-ministro Netanyahu
    Brasil e Israel assinam acordo de combate à corrupção e crime organizado
    Tags:
    Benjamin Netanyahu, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar