22:17 01 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    514
    Nos siga no

    O Secretário de Defesa norte-americano, Mark Esper, afirmou que irá manter a presença militar norte-americana na Síria restrita a 600 militares. Apesar de dificuldades com a Turquia, secretário acredita ser necessário mantê-la na OTAN.

    "[A presença militar] ficará relativamente estável ao redor deste número. Mas se virmos coisas acontecendo... posso aumentar um pouco", disse o secretário após conferência da OTAN.

    Esper não excluiu a possibilidade de reduzir o contingente norte-americano ainda mais, caso aliados da OTAN contribuam com a operação na Síria:

    "A coalisão está discutindo bastante novamente. Poderemos ver alguns aliados oferecendo tropas", disse o secretário à Reuters.

    "Se algum país aliado, membro da OTAN, decidir nos dar 50 pessoas, eu posso tirar 50 pessoas [da Síria]", explicou.

    Cartas de jogos espalhadas sobre o chão da base de coordenação aérea abandonada do Exército dos EUA em Dadat, Síria
    © Sputnik / Mikhail Alaeddin
    Cartas de jogos espalhadas sobre o chão da base de coordenação aérea abandonada do Exército dos EUA em Dadat, Síria

    Durante conferência da OTAN, encerrada nesta quarta-feira (4), no Reino Unido, o presidente dos EUA, Donald Trump, reiterou o seu compromisso de defender as reservas de petróleo sírias.

    "Ficamos com o petróleo. Era o petróleo que abastecia o ISIS [Daesh, organização terrorista proibida na Síria]", declarou Trump.

    As Forças Armadas dos EUA justificam a manutenção de tropas na Síria citando a necessidade de prevenir nova ascensão do Daesh.

    Turquia deve manter S-400

    Washington vem exercendo pressão na Turquia para que esta desista dos sistemas de defesa antiaéreos S-400 que comprou da Rússia.

    "Neste momento, não há ação nesse sentido", disse Esper, reconhecendo que a Turquia não toma medidas para desistir do S-400.

    No entanto, o secretário notou melhora nas relações com a Turquia durante a conferência da OTAN.

    Primeiro lote de componentes dos sistemas de defesa antiaérea S-400 na Turquia, Murted Airport, perto de Ancara
    © AFP 2020 / Ministério da Defesa da Turquia
    Primeiro lote de componentes dos sistemas de defesa antiaérea S-400 na Turquia, Murted Airport, perto de Ancara

    A Turquia retirou a sua ameaça de vetar novos planos da OTAN para Polônia e países bálticos, caso a aliança não reconhecesse a milícia curda Unidade de Proteção Popular (YPG) como "organização terrorista".

    "Eu acho que esse foi um passo adiante positivo", disse. "[Ancara] tem sido uma parte valiosa da OTAN por décadas, desde o início. Então temos que mantê-la incluída."

    O Pentágono alega que o sistema S-400 é incompatível com a defesa aérea da OTAN e ameaça os caças furtivos norte-americanos F-35.

    Em julho, os EUA retiraram a Turquia do programa do caça F-35 e repetidamente ameaçaram Ancara com sanções econômicas.

    Mais:

    'Abaixe o tom': mensagem de França e Alemanha para Trump durante a cúpula da OTAN
    Relações perigosas? Divisão na OTAN em função da Rússia deve continuar, diz analista
    Cúpula da OTAN em Londres: tudo que aconteceu na frente e por trás das câmeras
    Tags:
    S-400, Turquia, guerra síria, EUA, secretário de defesa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar