10:16 18 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Militares iranianos se preparam para lançar um míssil (foto de arquivo)

    Almirante dos EUA: Irã não está recuando militarmente após ataques na Arábia Saudita

    © AFP 2019 / ISNA/AMIN KHOROSHAHI
    Oriente Médio e África
    URL curta
    11176
    Nos siga no

    O comandante da 5ª Frota dos Estados Unidos, vice-almirante Jim Malloy, disse que tem monitorado o Irã e que o país não está recuando militarmente após ataques na Arábia Saudita.

    O militar é responsável pelas ações militares dos Estados Unidos na região do golfo Pérsico, mar Vermelho e mar da Arábia. Desde que instalações petrolíferas sauditas sofreram um ataque em 14 de setembro, Washington aumentou sua presença militar na região.

    "Eu não acredito que eles estejam recuando", disse Jim Malloy em entrevista à Reuters.

    Apesar de não fornecer detalhes sobre as operações de inteligência dos Estados Unidos, Malloy disse que tem monitorado o movimento dos mísseis iranianos.

    "Eu recebo um resumo sobre os movimentos [dos mísseis] em relatórios diários", disse Malloy.

    Operação Sentinela

    Para Washington, o Irã está por trás dos ataques às instalações da Saudi Aramco.

    Os EUA convocaram aliados para formar uma coalizão de segurança no golfo Pérsico contra a "ameaça iraniana".

    Até agora, Bahrein, Reino Unido, Austrália, Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos têm compartilhado informações de inteligência. Esta cooperação faz parte da Operação Sentinela.

    "O que a Sentinela procura fazer é iluminar a situação e garantir que se qualquer coisa acontecer eles [Irã] ficarão expostos por essa atividade", disse Malloy.

    A operação foi iniciada ainda antes dos ataques na Arábia Saudita. Na ocasião, os Estados Unidos culparam o Irã por ataques contra navios-tanque no golfo de Omã.

    Ainda segundo o vice-almirante, a Operação Sentinela cria uma zona de segurança no estreito de Ormuz.

    Mais:

    Irã diz que 'passo importante' foi dado para reunião sobre acordo nuclear com os EUA
    Chanceler do Irã acusa EUA de desencadearem guerra cibernética
    Irã diz que EUA exageram a magnitude do ataque a Saudi Aramco
    Tags:
    golfo Pérsico, Arábia Saudita, Marinha dos EUA, frota, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar