07:53 16 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    As exportações de petróleo do Irã sofreram uma acentuada queda devido a sanções impostas pelos Estados Unidos

    Irã descarta negociar programa de mísseis e deseja aumentar vendas de petróleo

    © Sputnik / Anton Bystrov
    Oriente Médio e África
    URL curta
    3221
    Nos siga no

    O Irã quer exportar ao menos 700 mil barris de petróleo por dia e almeja chegar a 1,5 milhão, no longo prazo, se o Ocidente negociar com Teerã para salvar o acordo nuclear de 2015, afirmaram autoridades neste domingo.

    De acordo com fontes ouvidas pela Reuters, tal negociação não incluiria debates sobre o programa de mísseis da República Islâmica.

    "Como gesto de boa vontade e um passo para criar espaço nas negociações, respondemos à proposta francesa", disse um alto funcionário do governo iraniano citado pela agência. "Queremos exportar 700 mil barris de petróleo por dia e que nos paguem o valor efetivo. E isso apenas no início. Deverá chegar a 1,5 milhão de barris por dia", acrescentou.

    Já outro funcionário destacou que "o programa de mísseis balísticos do Irã não será negociado".

    "Sublinhamos isso de maneira clara e aberta", afirmou, sem dar detalhes sobre a proposta feita pela França. 

    ​Ainda de acordo com um diplomata iraniano também consultado pela Reuters, o país descarta qualquer negociação que envolva o seu "direito a enriquecer urânio, seu ciclo de combustível nuclear da indústria nacional". Entretanto, Teerã se compromete a respeitar totalmente o pacto nuclear firmado há quatro anos com o chamado grupo do P5+1, formado por Alemanha, China, Estados Unidos, França, Reino Unido, Rússia.

    Segundo fontes do setor energético, as exportações de petróleo do Irã chegaram a cair até a marca de 100 mil barris por dia, em julho, em razão das sanções internacionais impostas pelos EUA ao país desde que o presidente norte-americano, Donald Trump, decidiu retirar Washington do acordo, no ano passado.

    Mais:

    Irã aconselha Coreia do Norte a não confiar nos EUA
    EUA irão tomar medidas se petroleiro iraniano tentar entregar petróleo à Síria, adverte Pompeo
    Irã apresenta novo sistema antiaéreo: 'Mais potente que o S-300' (VÍDEO)
    Irã refuta Israel e diz que suas posições na Síria não foram atacadas
    Tags:
    2015, P5+1, Donald Trump, Washington, acordo nuclear, sanções, urânio, Reuters, petróleo, mísseis, Oriente Médio, EUA, Estados Unidos, França, Teerã, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar