06:11 19 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Presidente sírio, Bashar Assad fala durante uma entrevista

    Assad: ataque 'planejado' dos EUA contra exército sírio em Deir ez-Zor favorece Daesh

    © AP Photo/ SANA
    Oriente Médio e África
    URL curta
    82174171

    O presidente sírio Bashar Assad acusou Washington de ter realizado um "ataque planejado" que favoreceu o grupo terrorista Daesh, em 17 de setembro, quando um avião da coalizão internacional liderada pelos EUA bombardeou as forças do governo sírio em Deir ez-Zor, o que provocou 80 mortos.

    Inicialmente o Pentágono informou que o ataque foi um erro e que este visava militantes do Daesh.

    O Reino Unido, a Austrália e a Dinamarca confirmaram a participação de seus aviões nos ataques.

    "O ataque aéreo das forças norte-americanas foi uma ação planejada, sendo que o [Daesh] estava sendo desalojado devido à cooperação entre a Síria, Rússia e o Irã, e sendo que a Frente al-Nusra, uma ala da Al-Qaeda, foi derrotada em muitas áreas na Síria, os EUA queriam prejudicar a posição do exército sírio; eles atacaram o nosso exército em Deir ez-Zor", declarou Assad.

    Ao mesmo tempo, o presidente sírio ressaltou que os EUA e seus aliados do Ocidente são responsáveis por não se conseguir acabar com as recentes hostilidades na Síria.

    "O Ocidente, principalmente os EUA…sempre pedem um cessar-fogo quando os terroristas se encontram em uma situação desfavorável, e não para os civis", destacou Assad à edição Politika.

    O líder sírio lamentou que os apoiantes das forças da oposição tenham aproveitado a pausa nos combates para providenciar apoio logístico, armas e outros reforços.

    "Quando o esquema não funcionava, eles pediam aos terroristas para fazer o cessar-fogo fracassar ou começar atacando de novo. Quem tem a culpa? Os EUA e seus aliados, os países ocidentais, é por causa deles. Os terroristas e o terrorismo são uma carta que eles querem jogar no palco sírio, eles não são contra os terroristas", frisou Assad.                                                                    

    O presidente sírio destaca que Washington está conduzindo uma "guerra de enfraquecimento" contra a Síria, Irã e Rússia, essa é a "sua visão em relação à Síria".

    Segundo Assad, é pouco provável que a Rússia e os EUA juntem forças para combater o terrorismo, por terem valores diferentes.

    Ao mesmo tempo o presidente sírio destaca que "os russos são muito sérios e estão dispostos a continuar combatendo os terroristas".

    Desde março de 2011, Síria vive um conflito armado no qual o governo enfrenta grupos de oposição armados e organizações terroristas, incluindo Daesh (auto-intitulado Estado Islâmico) e Frente al-Nusra.

    Mais:

    Legislador sírio: Ataque em Deir ez-Zor foi coordenado entre EUA e Daesh
    Ataque americano em Deir ez-Zor foi 'operação deliberada para enfraquecer Assad'
    Tags:
    exército sírio, aliados, civis, terroristas, cessar-fogo, Daesh, Frente al-Nusra, Al-Qaeda, Deir ez-Zor, Irã, Síria, Ocidente, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik