19:39 05 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    122
    Nos siga no

    Com a alta da demanda por equipamentos para proteção contra a transmissão de vírus, o preço de máscaras, aventais e luvas aumentou até 20 vezes, dificultado o combate ao coronavírus, alertou a OMS. 

    Segundo a Organização Mundial da Saúde, a procura por eles subiu em até 100 vezes, provocando uma "grave" interrupção da oferta.

    Esses utensílios estão sendo usados pela população de vários países para proteção contra a disseminação do coronavírus. A cena de passageiros vestindo máscaras em aeroportos se tornou comum mundo afora. 

    "Quando a oferta é pequena e a demanda alta, pode haver práticas nocivas como estocamento para vender por preços maiores, por isso pedimos solidariedade", afirmou o diretor da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, durante coletiva na sede da organização, em Genebra, segundo publicado pela agência Reuters. 

    Segundo ele, a situação é ainda pior pois não apenas equipes médicos estão usando o material, mais a população em geral também. 

    Equipes médicas e pacientes devem ser prioridade

    "A demanda é até 100 vezes maior do que o normal, e os preços até 20 vezes maiores", disse. De acordo com a OMS, a grande procura fez com que pedidos de máscaras e outros objetos estejam com atraso de quatro a seis meses. 

    Tedros ressaltou que médicos e profissionais de saúde da China precisam da maior parte do material. Até o momento, há 31.211 casos de coronavírus registrados no país e 630 mortes. O vírus também se espalhou para fora da China, atingindo 25 países. 

    O diretor da OMS explicou que conversou com produtores e distribuidores dos utensílios para normalizar a oferta e garantir que cheguem a quem mais precisa, priorizando os médicos, assim como pacientes e pessoas próximas a eles.

    A entidade chegou a enviar equipamentos de proteção para locais atingidos pelo surto do coronavírus. 

    "Convocamos os países e as empresas a trabalharem com a OMS para garantir o uso justo e racional dos suprimentos e o reequilíbrio do mercado. Todos temos um papel a desempenhar para nos mantermos seguros", disse Tedros. 

    Mais:

    Coronavírus teria vindo para ficar e não poderá ser totalmente derrotado, segundo cientistas
    Pangolim é apontado como possível hospedeiro intermediário do coronavírus
    Xi Jinping diz a Trump que China está 'confiante e capaz' de combater coronavírus
    Três casos de coronavírus no Brasil são descartados e agora 9 são investigados
    Tags:
    oferta, inflação, preços, economia, epidemia, surto, doença, saúde, OMS, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar