06:18 28 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    0 281
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil está de olho nas notícias mais relevantes desta segunda-feira (7), na qual a Índia ultrapassa o Brasil em número de casos de COVID-19, tem início o julgamento de Julian Assange e Comitê Olímpico promete jogos em 2021 "com ou sem coronavírus".

    Índia ultrapassa o Brasil e é o 2º país no mundo em número de casos de COVID-19

    Nesta segunda-feira (7), a Índia confirmou mais 91 mil novos casos de COVID-19, ultrapassou o Brasil e tornou-se o segundo país com maior número de casos de COVID-19 mundialmente. O país asiático registra 4.204.613 de casos e 71.650 vítimas fatais, contra 2.304.613 casos e 126.650 óbitos no Brasil, aponta a Universidade Johns Hopkins (EUA). Apesar do agravamento da pandemia, cidades indianas reabriram hoje seus sistemas de metrô, após cinco meses de serviços interrompidos em função da COVID-19.

    Agente de saúde coleta amostra para teste para COVID-19 em área residencial de Mumbai, na Índia, 7 de setembro de 2020
    © AFP 2020 / Punit Paranjpe
    Agente de saúde coleta amostra para teste para COVID-19 em área residencial de Mumbai, na Índia, 7 de setembro de 2020

    Carreatas em apoio à Lava Jato são realizadas em 15 estados brasileiros

    Neste domingo (6), carreatas em apoio à Operação Lava Jato foram realizadas em 15 estados da federação, informou o movimento Vem Pra Rua, que convocou as manifestações. A maior delas teria reunido cerca de 200 automóveis em São Paulo. Os protestos foram convocados após o afastamento do procurador Deltan Dellagnol da liderança da operação. Para os manifestantes, o procurador-geral da República, Augusto Aras, promove o desmonte da operação sediada em Curitiba. O ex-juiz Sergio Moro afirmou em vídeo transmitido ao vivo durante as carreatas que "a operação [...] infelizmente está sofrendo alguns revezes nesse momento". No dia 1º de setembro, Dellagnol anunciou sua saída da liderança da operação, alegando motivos familiares.

    Rei saudita diz a Trump que reino quer solução justa para questão palestina

    Neste domingo (6), o rei Salman bin Abdulaziz da Arábia Saudita disse ao presidente dos EUA, Donald Trump, durante conversa telefônica, que o reino quer solução justa e permanente para a questão palestina. A formação do Estado palestino é o maior entrave à iniciativa da administração Trump, que busca estimular países árabes a seguir o exemplo dos Emirados Árabes Unidos (EAU) e selar acordo de paz com Israel. "O presidente Trump [...] acolheu bem a abertura do espaço aéreo saudita a voos entre Israel e os EAU", que possibilitou a "realização de voo histórico entre Tel Aviv e Abu Dhabi", disse a subsecretária de imprensa da Casa Branca, Judd Deere, no Twitter.

    Estudantes palestinos voltam às aulas na cidade de Susya, na Cisjordânia ocupada, 7 de setembro de 2020
    © REUTERS / Mussa Issa Qawasma
    Estudantes palestinos voltam às aulas na cidade de Susya, na Cisjordânia ocupada, 7 de setembro de 2020

    Após adiamento por COVID-19, julgamento de Julian Assange terá início hoje

    Nesta segunda-feira (7), terá início o julgamento do jornalista Julian Assange, na capital britânica, Londres. O julgamento, incialmente marcado para o dia 18 de maio, foi adiado em função da pandemia de COVID-19. O fundador do WikiLeaks enfrenta pedido de extradição para os EUA, onde poderá ser condenado a até 175 anos de prisão, por revelar documentos sobre a atuação de Washington nas guerras do Afeganistão e do Iraque. O julgamento do ativista está previsto para ser iniciado às 09h30 do horário local (05h30 no horário de Brasília). Assange é mantido sob custódia britânica em prisão de segurança máxima desde 2019, quando foi obrigado a se retirar da Embaixada do Equador, onde havia recebido asilo político, em 2012.

    Manifestantes realizam ato em apoio a Julian Assange, em Londres, 21 de julho de 2020
    © AFP 2020 / Niklas Halle'n
    Manifestantes realizam ato em apoio a Julian Assange, em Londres, 21 de julho de 2020

    COI promete Olimpíadas de Tóquio em 2021, 'com ou sem coronavírus'

    Nesta segunda-feira (7), o vice-presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), John Coates, afirmou que os Jogos Olímpicos de Tóquio serão realizados entre os dias 23 de julho e 8 de agosto de 2021, independentemente da situação epidemiológica relacionada à COVID-19. "As Olimpíadas serão realizadas com ou sem coronavírus", disse Coates. Para ele, na ocasião da abertura dos jogos, provavelmente alguns países ainda não terão controlado a pandemia. "Atletas de todos os países sem distinção" poderão participar dos jogos, "o que representa um desafio sério para o Japão", reconheceu Coates. O Japão confirmou mais de 71.900 casos e 1.300 vítimas fatais da COVID-19, de acordo com a Universidade Johns Hopkins (EUA).

    Mais:

    EUA: Apenas 21% da população afirma querer tomar vacina contra COVID-19 assim que possível
    Vacina Sputnik V tem dúvidas esclarecidas: chegou a hora de críticos tirarem trave do próprio olho
    Alemanha pode fornecer dados de Navalny à Rússia, mas admite demorar um tempo
    Tags:
    Olimpíadas, COI, Japão, EUA, israel, Arábia Saudita, Lava Jato, Índia, COVID-19, pandemia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar