16:07 06 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    2352
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil está de olho nas matérias mais relevantes desta quinta-feira (19), marcada pela crise diplomática entre Brasil e China, pelos dados positivos registrados em Wuhan e pelo lançamento de medidas econômicas emergenciais para combater o coronavírus.

    Brasil tem 4ª morte e Congresso quer decretar calamidade pública

    Secretarias estaduais de saúde contabilizam 529 casos de coronavírus em 20 estados e no Distrito Federal. São Paulo confirmou a quarta vítima fatal da COVID-19, enquanto os estados da Paraíba e do Pará anunciaram seus primeiros casos. Em resposta à pandemia, projeto de lei que decreta calamidade pública foi aprovado na Câmara dos Deputados e deve seguir hoje (19) para o Senado. O projeto permite que o governo amplie gastos, sem precisar cumprir a meta fiscal deste ano.

    Rodrigo Maia pede desculpas à China

    O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pediu desculpas à China, na madrugada desta quinta-feira (19), pela afirmação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), que culpou Pequim pela propagação do coronavírus.

    • Na quarta-feira (18), o filho do presidente Jair Bolsonaro havia publicado declaração na qual culpou a China pela disseminação do novo coronavírus.
    • A embaixada da China publicou resposta dura, na qual fez alusão às relações entre a família Bolsonaro e os EUA: "Suas palavras são extremamente irresponsáveis e nos soam familiares. Aconselhamos que não corra para ser o porta-voz dos EUA no Brasil."

    Venezuela pede à OMS ajuda humanitária para combater COVID-19

    O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, pediu ajuda humanitária ao diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, para combater a pandemia de COVID-19. Maduro informou que nesta quinta-feira (19) a Venezuela deve receber milhares de kits de testes para o coronavírus enviados pelo governo da China. A Venezuela tem 36 casos confirmados de COVID-19.

    Nenhum novo caso em Wuhan

    Nesta quinta-feira (19), nenhum novo caso de coronavírus foi detectado na cidade de Wuhan, epicentro do novo coronavírus na China. Autoridades locais, no entanto, afirmaram que só devem levantar as restrições na cidade após 14 dias sem a confirmação de novos casos. Na capital Pequim novos casos de COVID-19 foram confirmados, todos em pacientes que retornaram do exterior. Essa é a primeira vez desde dezembro de 2019 que a China não contabiliza nenhuma transmissão comunitária do novo coronavírus.

    Japão quer transferência de dinheiro direto para famílias

    Nesta quinta-feira (19), o ministro da Economia do Japão, Yasutoshi Nishimura, informou que o país planeja realizar transferências de dinheiro diretamente para as famílias, a fim de diminuir o impacto do coronavírus. Os repasses totalizariam cerca de US$ 276 bilhões (cerca de R$ 1,4 trilhão). Para o ministro, a crise econômica gerada pela COVID-19 poderá ser mais grave do que a crise financeira de 2008.

    Cerca de 60.000 sem-teto podem ser infectados na Califórnia

    Cerca de 60.000 pessoas sem moradia podem ser infectadas com o coronavírus nas próximas oito semanas, informou o governador da Califórnia Gavin Newsom. O estado é um dos mais afetados dos EUA, com 598 casos de COVID-19 confirmados e 17 vítimas fatais. Nesse contexto, os EUA e o Canadá optaram por fechar a fronteira terrestre entre os países para "tráfego não essencial". Os EUA registram 9.415 casos do novo coronavírus e 150 mortes. O Canadá, por sua vez, confirmou 727 casos de COVID-19 e 9 vítimas fatais. 

    Moradora de rua em banco na cidade de Oakland, Califórnia, EUA, 18 de março de 2020
    © AP Photo / Ben Margot
    Moradora de rua em banco na cidade de Oakland, Califórnia, EUA, 18 de março de 2020

    Sistema de defesa Bal irá participar de desfile da vitória

    Em Alabino, cidade próxima da capital russa Moscou, foram iniciados os ensaios militares para a marcha de comemoração dos 75 anos da vitória na Segunda Guerra Mundial, a ser realizada no dia 9 de maio. O sistema de defesa costeira Bal irá participar pela primeira vez dos desfiles. O sistema está equipado com mísseis modernizados X-35UE, que atingem velocidade supersônica e alcance de até 260 quilômetros.

    Mais:

    Pedido de impeachment de Bolsonaro vira 'carta na manga' de Rodrigo Maia, diz especialista
    Panelaço contra Bolsonaro mostra que população sabe da gravidade da COVID-19, diz especialista
    Remédio japonês é 'claramente eficaz' contra coronavírus, diz China
    Tags:
    Bal, Califórnia, Wuhan, Rodrigo Maia, novo coronavírus, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar