16:06 24 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    8665
    Nos siga no

    O cancelamento por parte da Austrália dos contratos de fabricação de submarinos na França mina a confiança de toda a Europa, e não apenas da França, disse Clément Beaune, secretário de Estado dos Assuntos Europeus francês.

    A Europa deve reforçar a sua autonomia estratégica e a sua defesa após o incidente com a Austrália, acrescentou o político.

    "O governo australiano não pode se esconder atrás de Washington ou de Londres. Eles tomaram uma decisão como Estado soberano, e a América começou a proteger os seus interesses [...] É claro que [o fizeram] de forma desagradável e não como parceiros, mas não se deve esperar até que Washington recupere o bom senso", afirmou Beaune ao canal France 24.

    Ele ressaltou que a Europa tem que agir depois do incidente australiano.

    "Não é uma questão da França, é um assunto da Europa – reforçar as nossas capacidades de defesa e autonomia estratégicas", disse diplomata.

    Submarino classe Triomphant (França)
    © AFP 2021 / MARCEL MOCHET
    Submarino classe Triomphant (França)
    "Não sei como agora podemos confiar em nossos parceiros australianos. E este não foi um passo contra a França, foi uma quebra de confiança da Europa, porque agora ela não pode confiar em seus parceiros”, comentou Beaune.

    Quebra de confiança é um sinal muito ruim

    O embaixador francês na Austrália, Jean-Pierre Thebault, disse, antes de partir do país, que Camberra estava preparando a quebra do contrato há meses, escreve o Sydney Morning Herald.

    "Temos informações muito confiáveis da imprensa independente, que eu agradeço, sobre o fato de tudo isto ter sido planejado durante 18 meses. O que significa que fomos enganados intencionalmente durante 18 meses […] O crime foi preparado há 18 meses", disse o embaixador.

    "Se as informações que foram publicadas […] sobre a traição em curso e dupla linguagem intencional são verdade – e elas ainda não foram desmentidas – então isto é uma grande quebra de confiança e um sinal muito ruim", concluiu Thebault.

    Nesta sexta-feira (17), o ministro das Relações Exteriores da França, Jean-Yves Le Drian, anunciou a retirada dos embaixadores franceses nos Estados Unidos e na Austrália, que retornam a Paris para consultas, por causa do cancelamento do contrato de submarinos. Segundo observa a mídia, é a primeira vez na história que a França retira seus embaixadores nestes países.

    A Austrália acaba de estabelecer uma parceria no domínio da defesa e segurança com o Reino Unido e os EUA, anunciando o cancelamento do contrato de fabricação de submarinos com a empresa francesa Naval Group. O acordo de 90 bilhões de dólares australianos (R$ 345,9 bilhões), denominado de "contrato do século", previa a produção de 12 submarinos da classe Barracuda.

    Mais:

    'Facada nas costas': chanceler critica Austrália por rescisão de contrato de submarinos com França
    Aliança militar AUKUS não visa qualquer outro país, diz premiê do Reino Unido
    França cancela comemoração conjunta com EUA de aniversário da batalha naval em protesto
    Tags:
    França, submarino nuclear, Austrália, acordo militar, EUA, Europa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar