20:36 23 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    14584
    Nos siga no

    Ministro das Relações Exteriores chama embaixadores a pedido de Emmanuel Macron. Segundo autoridade francesa, "a decisão excepcional se justifica pela especial seriedade das declarações feitas em 15 de setembro".

    Nesta sexta-feira (17), o ministro das Relações Exteriores da França, Jean-Yves Le Drian, anunciou a retirada dos embaixadores do país nos Estados Unidos e Austrália, e os convocaram a Paris para consultas devido à rescisão do contrato do submarino por Camberra.

    "A pedido do presidente da República [Emmanuel Macron], decidi chamar de volta imediatamente dois de nossos embaixadores nos Estados Unidos e na Austrália a Paris para consultas", disse o ministro.

    Na quarta-feira (15), Austrália, Reino Unido e Estados Unidos anunciaram uma parceria de defesa chamada AUKUS, com a tarefa inicial de EUA e Reino Unido apoiarem a oferta da Austrália para adquirir submarinos de propulsão nuclear, conforme noticiado.

    O novo pacto defensivo forçou Camberra a desistir de um contrato de US$ 66 bilhões (R$ 348 bilhões) com a França para desenvolver 12 submarinos de ataque com propulsão convencional, já que a aliança defensiva promete aumentar a frota australiana com submarinos com propulsão nuclear. 

    Le Drian se referiu ao acordo como "uma faca nas costas", e a Embaixada da França em Washington cancelou uma recepção marcada para hoje (17) para celebrar a aliança EUA-França que datava a Guerra da Independência dos Estados Unidos.

    "Esta decisão excepcional se justifica pela especial seriedade das declarações feitas em 15 de setembro pela Austrália e pelos Estados Unidos", frisou o ministro.

    Mais:

    EUA apoiarão Austrália contra pressão da China, afirma secretário de Estado norte-americano
    EUA colocarão 'aviões de todos os tipos' na Austrália aumentando sua presença militar
    Aliança militar AUKUS não visa qualquer outro país, diz premiê do Reino Unido
    Tags:
    EUA, Austrália, Reino Unido, acordo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar