02:07 18 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    11259
    Nos siga no

    Nesta quinta-feira (16), o ministro das Relações Exteriores da França descreveu o cancelamento pela Austrália do contrato com a empresa de defesa naval Naval Group como um passo lamentável que não está em conformidade com o espírito da cooperação franco-australiana.

    O chanceler da França, Jean-Yves Le Drian, criticou a decisão australiana de rescindir o contrato de US$ 90 bilhões (R$ 470 bilhões) do país com a empresa francesa Naval Group.

    "Isso é de verdade uma facada nas costas. Estabelecemos uma relação de confiança com a Austrália. Esta confiança foi minada. E hoje estou zangado com a rescisão deste contrato", disse Le Drian à rádio France Info.

    O ministro também sublinhou que ele espera explicações da Austrália e dos Estados Unidos.

    Em um comunicado conjunto, o chanceler Jean-Yves Le Drian e a ministra das Forças Armadas, Florence Parly, declararam que a decisão da Austrália "é contrária à letra e ao espírito da cooperação que prevalecia entre a França e a Austrália, baseada em uma relação de confiança política, bem como no desenvolvimento de uma base industrial e tecnológica de defesa de altíssimo nível na Austrália".

    Em comunicado, os ministros disseram que a França confirma seu desejo de uma ação muito ambiciosa nesta região com o objetivo de preservar a "liberdade de soberania" de cada parte.

    O Naval Group lamentou igualmente a decisão de acabar a cooperação mútua, qualificando o passo como "uma grande decepção".

    Acordo francês

    As declarações seguem o anúncio australiano sobre a rescisão do contrato de submarinos com o Naval Group no âmbito de nova aliança AUKUS da Austrália, Reino Unido e EUA.

    "A busca de tecnologias de submarinos de propulsão nuclear significa que a Austrália não prosseguirá mais com o programa de submarinos convencionais de classe de ataque com o Naval Group", indica um comunicado conjunto do premiê Scott Morrison e de vários ministros australianos.

    Os ministros agradeceram ao Naval Group, ao governo da França e à empresa Lockheed Martin Australia por seus esforços. O comunicado destacou que a França é um amigo e parceiro-chave da Austrália e do Indo-Pacífico.

    "No entanto, as mudanças aceleradas na segurança regional tornam os submarinos convencionais inadequados para nossas necessidades operacionais nas próximas décadas", afirmaram os ministros, sublinhando a vontade australiana de continuar um trabalho próximo e positivo com a França.

    Mais:

    EUA anunciam aliança de segurança com Austrália e Reino Unido para Indo-Pacífico
    Defesa do Japão diz que mísseis da Coreia do Norte teriam caído na sua Zona Econômica Exclusiva
    Irã acusa Ocidente de padrão duplo 'vergonhoso' em relação às armas nucleares de Israel
    Drones estratosféricos e híbrido navio-submarino: Marinha britânica revela frota futurista (IMAGENS)
    Tags:
    Austrália, França, chances, Ministério das Relações Exteriores, submarino, EUA, Reino Unido
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar