22:48 22 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    COVID-19 no mundo no fim de novembro (67)
    0 63
    Nos siga no

    Visons exterminados, emergidos da terra devido à decomposição de gases, motivaram piadas mórbidas sobre a invasão de "visons assassinos zumbis", o que, muitos dizem, não surpreenderia ninguém em 2020.

    Depois de a Dinamarca ter anunciado a exterminação bem-sucedida do coronavírus ao sacrificar cerca de um milhão de visons em fazendas dinamarquesas, na área de treino militar de Holsterbo (Dinamarca), os cadáveres de visons incharam e foram empurrados para fora do chão onde foram sepultados.

    Os corpos de visons foram tratados com desinfetante e cobertos por cal antes de serem enterrados. Porém, a sepultura acabou não sendo profunda o suficiente, e por isso os corpos dos animais incharam e saíram do chão para fora.

    A Polícia Nacional já enfrentou este problema em outros locais.

    "É um processo natural, o qual nós já tentamos resolver colocando mais solo por cima", explicou à Danish Radio o funcionário da Polícia Nacional da Dinamarca Thomas Kristensen. "Um metro de solo não sempre é igual. Depende do material do qual consiste. Por isso vemos isto acontecendo", adicionou.

    Daqui em diante, visons continuarão sendo enterrados a 2,5 metros de profundidade ao invés de um metro para evitar situações semelhantes. As sepulturas também foram cobertas com solo adicional. Além disso, a área de Holsterbo agora está guardada para evitar possível contágio proveniente dos corpos dos animais.

    "Visons que foram infectados com coronavírus transmitem [o vírus] principalmente por via respiratória, neste caso visons mortos infectam menos do que os vivos. Mas ainda pode haver bactérias em sua pele", ressaltou o funcionário.

    Nas redes sociais, a notícia mórbida provocou posts de humor negro quando os dinamarqueses começaram a fazer piadas sobre vison zumbi.

    ​2020, o ano de visons assassinos zumbis mutantes

    O primeiro caso de COVID-19 em uma fazenda dinamarquesa de visons ocorreu em junho deste ano, e logo em seguida se espalhou por centenas de fazendas. A mutação do vírus, que pode ser transmitido para seres humanos, foi encontrada entre os visons infectados durante o outono. Em 2 de novembro, o governo da Dinamarca autorizou o sacrifício de cerca de um milhão de visons depois que o novo coronavírus foi detectado em mais de 40 fazendas de criação desses animais.

    Tema:
    COVID-19 no mundo no fim de novembro (67)

    Mais:

    VÍDEOS mostram multidão tentando fugir de teste de coronavírus em aeroporto de Xangai
    OMS enviará especialistas à China para investigar origens do novo coronavírus
    Macron diz que França superou 2ª onda do coronavírus e poderá flexibilizar lockdown
    Tags:
    Dinamarca, novo coronavírus, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar