14:21 22 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    16618
    Nos siga no

    Os Estados Unidos e a China assinaram nesta quarta-feira (15) a primeira fase de um acordo para encerrar a guerra comercial em curso entre as duas maiores economias do mundo.

    A cerimônia de assinatura do memorando de 86 páginas ocorreu na Casa Branca e contou com a presença do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e do vice-primeiro-ministro da China, Liu He.

    Representantes de Washington afirmam que o acordo deverá levar a China a aumentar a compra de produtos agrícolas estadunidenses em US$ 50 bilhões anualmente (medida que poderá afetar os produtos rurais brasileiros) e também acarretar na compra adicional de US$ 200 bilhões em produtos dos Estados Unidos nos próximos dois anos.

    Trump afirmou, também nesta quarta-feira, que manterá suas tarifas contra a China até que seja concluída uma nova fase do acordo comercial.

    "Estamos deixando as tarifas atuais [...], mas eu concordarei em removê-las se pudermos definir a fase dois. Então, eu as deixo em vigor [...], mas todas elas serão removidas assim que terminarmos a fase dois", disse Trump antes de assinar o acordo.

    O presidente acrescentou que não espera que uma terceira fase seja necessária para encerrar tarifas adicionais que Washington e Pequim aplicaram reciprocamente. 

    "Este acordo não é direcionado ou afeta os direitos e interesses legais de qualquer país terceiro. Está em conformidade com as regras da Organização Mundial do Comércio [...] É um acordo que beneficia os Estados Unidos, a China e o mundo, o que trará crescimento econômico e paz mundial", disse o vice-premiê chinês, Liu He, na cerimônia da Casa Branca.

    Em carta, o presidente da China, Xi Jinping, cumprimentou a assinatura do acordo e disse que a iniciativa mostra que os dois países podem resolver suas diferenças por meio do diálogo. 

    Mais:

    Matar dois pássaros com uma pedra: China investe no México contornando protecionismo americano
    Quais são as perspectivas de crescimento do arsenal nuclear da China?
    EUA e China não têm acordo para futuras reduções de tarifas
    Criado na China para missões militares, 'tubarão-robô' é flagrado em ação (VÍDEOS)
    China deve aumentar importação de soja dos EUA após acordo de comércio, diz especialista
    Tags:
    guerra comercial, Estados Unidos, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar