02:28 09 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    452
    Nos siga no

    A China deve aumentar significativamente suas importações de soja, suínos e algodão após a assinatura da chamada Fase 1 do acordo comercial com os EUA, reportou mídia chinesa com base em fontes próximas ao governo.

    Wang Liaowei, economista chefe de um think tank chinês do ramo de grãos e óleos, disse ao jornal Global Times que as importações de suínos e algodão dos EUA também devem observar aumento.

    “Com terras aráveis e recursos aquíferos internos limitados, o padrão da China baseado na importação de soja para suprir a demanda interna não pode ser modificado fundamentalmente", explicou Wang. "Como o maior importador de soja do mundo, nenhum país pode suprir a demanda chinesa sozinho."

    Caso seja confirmado, o retorno da soja dos EUA para o mercado chinês pode afetar produtores de soja brasileiros, que já estes contavam com uma forte demanda do gigante asiático para 2020.

    A China foi o destino de 78% de toda a soja exportada pelo Brasil entre janeiro e novembro de 2019, segundo dados do Ministério da Economia. No período, Pequim comprou US$ 19,59 bilhões de soja brasileira.

    Fazendeiro do Estado de Iowa, Randy Miller, mostra planta se soja, em agosto de 2019
    © AP Photo / Julie Pace
    Fazendeiro do Estado de Iowa, Randy Miller, mostra planta se soja, em agosto de 2019

    Em um mês, compradores chineses haviam arrematado às pressas mais de 20 cargas de soja brasileiras, a fim de suprir a demanda não atendida em função da guerra comercial com os EUA.

    Demanda chinesa

    Apesar de a China ter o potencial de absorver as produções tanto do Brasil, quanto dos EUA, a guerra comercial modificou alguns padrões importantes na economia do gigante asiático.

    Colheita da soja na região de Amur, na Rússia (imagem de arquivo)
    © Sputnik / Igor Ageenko
    Colheita da soja (imagem referencial)

    Fatores indicam a possibilidade de queda na demanda chinesa de soja e sorgo em função da epidemia de gripe suína, que assolou o rebanho do país. A China importa grãos principalmente para uso como ração animal.

    A indústria de ração animal chinesa, por sua vez, modificou a composição de seus produtos para diminuir a demanda por grãos importados dos EUA.

    Mais:

    EUA deixam de considerar China como país manipulador de divisas na véspera do acordo comercial
    Fim da guerra comercial? Saiba o que novo acordo comercial entre EUA e China traz consigo
    China aumenta importação da soja do Brasil em meio a tensões com os EUA
    Tags:
    algodão, soja, Brasil, guerra comercial, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar