23:15 26 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    7134
    Nos siga no

    Um recente artigo do jornal The National Interest põe em questão a viabilidade dos destróieres furtivos da classe Zumwalt, destacando seu custo elevado e incapacidade de executar algumas missões.

    Estes navios furtivos precisam ser reformulados e a Marinha dos EUA deve decidir o que fazer com eles, aponta o autor do artigo, Sebastien Roblin.

    Normalmente, os navios de guerra são adaptados para executar missões específicas. Mas os destróieres altamente avançados da classe Zumwalt ainda não têm tarefas claras, especialmente quando a aquisição de munições altamente dispendiosas para o seu principal sistema de armas foi cancelada.

    O sistema avançado de armas dos Zumwalt não funcionou tão bem quanto se esperava, com apenas dois terços do alcance previsto (cerca de 70 milhas, ou 112 quilômetros).

    Além disso, com os canhões do navio sendo a única arma capaz de disparar as munições especializadas do Projétil de Ataque Terrestre de Longa Distância (LRLAP, na sigla em inglês), o custo por projétil se descontrolou, chegando agora a US $ 800.000 (R$ 4.273 milhões) cada um.

    O Zumwalt tinha sido "vendido" ao Congresso com base em estimativas irrealistas de custos mínimos. Os custos acabaram por exceder o orçamento em 50%, provocando um cancelamento automático do programa, de acordo com a Lei Nunn-McCurdy.

    Navio da Marinha dos EUA USS Michael Monsoor da classe Zumwalt (imagem referencial)
    © AP Photo / Robert F. Bukaty
    Navio da Marinha dos EUA USS Michael Monsoor da classe Zumwalt (imagem referencial)

    Agora, cada destróier Zumwalt custa US$ 4,5 bilhões (R$ 24 bilhões), além dos US$ 10 bilhões (R$ 53,4 bilhões) gastos em seu desenvolvimento.

    Inicialmente, a Marinha planejava adquirir 28 destes moderníssimos destróieres, mas, devido ao seu preço alto, esse número foi reduzido para sete. No total, acabaram sendo compradas somente três unidades.

    A Marinha encomendou seu segundo navio da classe Zumwalt, o USS Michael Monsoor, em janeiro de 2019. O último navio da classe, o USS Lyndon B. Johnson, deverá ser encomendado em 2021.

    Mais:

    Destróier da Marinha dos EUA navega pelo estreito de Taiwan em meio a tensões com China (FOTO)
    Destróier dos EUA entra em águas territoriais da Rússia e se retira após advertência (VÍDEO)
    Marinha dos EUA se prepara para construir destróier de última geração
    Tags:
    tecnologia furtiva, tecnologia militar, destroier, Marinha dos EUA, USS Zumwalt
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar