16:09 15 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    335
    Nos siga no

    Prática enganosa de segurança cibernética conhecida como potes de mel (honeypots) já funcionou no passado com hackers russos. Recentemente, Noruega acusou a Rússia de arquitetar ataque contra o Parlamento do país.

    Países-membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) participaram de um exercício da Coalizão Cibernética da OTAN, que ocorreu na Estônia e em outros locais de 16 de novembro a 20 de novembro. O principal objetivo do exercício foi ensinar aos países-membros técnicas de potes de mel (honeypots), relata o portal Defense One.

    Potes de mel é uma técnica utilizada para enganar hackers, uma armadilha para reunir dados sobre possíveis invasores. Consiste em simular falhas de segurança de um sistema e colher informações sobre o hacker.

    O exercício, coordenado pelo Centro de Treinamento em Segurança Cibernética da Estônia, atraiu mais de mil participantes. De acordo com a mídia, nos anos anteriores os exercícios se esforçaram para imitar os desafios do mundo real, como as técnicas de guerra híbridas utilizadas pelos russos.

    Este ano, "colocamos [para fora] máquinas que são sacrificais, que são o que chamamos de potes de mel […] A ideia é que o adversário ache mais fácil atacar essas máquinas sem saber [que são armadilhas], eles vão fazer isso e estaremos preservando as informações para a OTAN e interagindo com esse adversário", explicou Alberto Domingo, diretor técnico para o ciberespaço do Comando Supremo da Transformação dos Aliados da OTAN.

    Ian West, chefe do Centro de Segurança Cibernética da OTAN, não deixou claro se a OTAN atualmente emprega potes de mel em ambientes do mundo real. "Não podemos entrar no que fazemos ou não em termos de nossas táticas […] Usamos todos os meios defensivos que estão disponíveis para defender nossas redes" garantiu West.

    Ataque hacker contra Parlamento norueguês

    Em 1º de setembro, o Parlamento da Noruega anunciou que tinha sofrido um ataque cibernético na semana anterior e que as contas de e-mail de diversos funcionários e legisladores foram hackeadas.

    A ministra das Relações Exteriores da Noruega, Ine Eriksen Soreide
    © AFP 2020 / Elvis Barukcic
    A ministra das Relações Exteriores da Noruega, Ine Eriksen Soreide

     

    "Com base nas informações às quais o governo teve acesso, nossa avaliação indica que a Rússia está por trás dessa atividade", disse na altura a ministra das Relações Exteriores, Ine Eriksen Soreide.

    A Noruega é um país-membro da OTAN e faz fronteira com a Rússia no Ártico. O atual secretário-geral da organização é o norueguês Jens Stoltenberg, que já ocupou o cargo de primeiro-ministro do país nórdico. Stoltenberg disse que a organização está preocupada com a possibilidade de a Rússia estar por trás do ataque cibernético, e que confia na avaliação das autoridades de Oslo.

    "A OTAN está preocupada porque isso se encaixa em um padrão que já vimos em outros países. Os ataques são inaceitáveis e minam a confiança. […] Por isso, a segurança cibernética é uma parte importante dos mecanismos de defesa da OTAN, e esta é a razão pela qual a OTAN e nossos aliados fortaleceram a nossa segurança cibernética", comentou Stoltenberg em outubro.

    Por sua vez, a Embaixada da Rússia em Oslo assinalou em comunicado no Facebook que são "inaceitáveis essas acusações contra o nosso país. Consideramos o que aconteceu uma grave provocação deliberada, prejudicial para as relações bilaterais" e cobrou "explicações do lado norueguês".

    Mais:

    Twitter faz 'lockdown' no seu sistema e suspende postagens após ataque hacker
    É alertado sobre chance de 'hackear' carregadores rápidos para provocar incêndios em celulares
    Especialista explica como conferir se seu celular foi hackeado por vírus
    'Atos foram feitos com celular de 50 €', diz hacker português que reivindica ataques ao TSE
    Tags:
    Rússia, ataque hacker, hacker, Noruega, OTAN
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar