18:54 27 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    366
    Nos siga no

    A chanceler da Noruega disse hoje (13) que a Rússia estaria por trás de um ataque hacker contra o Parlamento norueguês ocorrido em agosto, uma acusação que foi negada por Moscou.

    No dia 1º de setembro, o Parlamento da Noruega anunciou que tinha sofrido um ataque cibernético na semana anterior e que as contas de e-mail de diversos funcionários e legisladores foram hackeadas.

    "Com base nas informações das quais o governo teve acesso, nossa avaliação indica que a Rússia está por trás dessa atividade", disse a ministra das Relações Exteriores, Ine Eriksen Soreide, segundo a emissora NRK.

    Por sua vez, a Embaixada da Rússia em Oslo assinalou em um comunicado no Facebook que as acusações carecem de evidências e são inaceitáveis.

    Comentário da Embaixada da Rússia na Noruega. Em 13 de outubro de 2020, as autoridades norueguesas acusaram a Rússia de "ataque cibernético" contra o Storting [Parlamento nacional]. Nenhuma prova apresentada. Consideramos inaceitáveis essas acusações contra o nosso país. Consideramos o que aconteceu uma grave provocação deliberada, prejudicial para as relações bilaterais. Milhões de ataques cibernéticos são cometidos anualmente do exterior contra recursos da Internet do Estado russo [por exemplo, 77 milhões no site do Ministério das Relações Exteriores entre janeiro e setembro de 2018, e também contra as missões de serviço exterior na Noruega], mas isso não nos dá o direito de culpar injusificadamente as autoridades dos países de onde vêm os supostos ataques. Em maio de 2020, foi enviada uma nota ao Ministério das Relações Exteriores da Noruega que descreve o procedimento de ação em caso de incidentes cibernéticos - os canais oficiais para a sua investigação. Não houve reação, o que mostra a falta de vontade das autoridades norueguesas para o diálogo. Aí fica a pergunta: porque então, em conjunto com os países europeus, foram criados mecanismos especializados de resposta, se formou uma base legislativa? Esperamos explicações do lado norueguês.

    O caso está sendo investigado pelo Serviço de Segurança da Polícia da Noruega (PST, na sigla em norueguês), cujo diretor de comunicação Trond Hugubakken não quis comentar as conclusões do governo.

    "Ainda estamos investigando o caso. Assim que as investigações forem encerradas, apresentaremos nossas conclusões. Então, as investigações seguem seu curso, independentemente do que o governo disse hoje [13]", declarou Hugubakken à NRK.

    Quando as autoridades norueguesas noticiaram o incidente em setembro, elas não revelaram quais seriam os possíveis suspeitos. Agora, o governo do país escandinavo afirma ter certeza de que a Rússia é responsável, e que um ataque hacker é inaceitável.

    "É importante para nós que a Rússia seja responsabilizada. Nós não aceitamos que o Storting [Parlamento] seja submetido a esse tipo de ataque", disse a chanceler da Noruega.

    Ao ser questionada se o incidente traria consequências para as relações bilaterais, Soreide afirmou que a Noruega gostaria de ter uma relação pragmática com a Rússia, mas jamais aceitaria ataques contra sua instituição democrática mais importante.

    Posição da OTAN

    A Noruega é um país-membro da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) e faz fronteira com a Rússia no Ártico. O atual secretário-geral da organização é o norueguês Jens Stoltenberg, que já ocupou o cargo de primeiro-ministro do país nórdico.

    Em entrevista à emissora norueguesa TV2, o secretário-geral disse que a organização está preocupada com a possibilidade de a Rússia estar por trás do ataque cibernético, e que confia na avaliação das autoridades de Oslo.

    "A OTAN está preocupada porque isso se encaixa em um padrão que já vimos em outros países. Os ataques são inaceitáveis e minam a confiança. Também evidenciam as ameaças cibernéticas que todos nós enfrentamos. Por isso, a segurança cibernética é uma parte importante dos mecanismos de defesa da OTAN, e esta é a razão pela qual a OTAN e nossos aliados fortaleceram a nossa segurança cibernética", disse Stoltenberg.

    Mais:

    Noruega reforça porto militar no norte do país para acolher submarinos nucleares dos EUA
    Navio de guerra nazista afundado na Segunda Guerra Mundial é encontrado na Noruega (FOTOS)
    Templo viking usado para adoração de deuses nórdicos é encontrado na Noruega (VÍDEO)
    Tags:
    Parlamento Norueguês, ciberataque, Rússia, Noruega
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar