14:55 27 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    381486
    Nos siga no

    O novo grupo de ataque liderado pelo porta-aviões HMS Queen Elizabeth da Marinha Real britânica se reuniu pela primeira vez, em uma iniciativa que se destina a "aterrorizar" os líderes militares na Rússia, disse um ex-comandante naval.

    Depois de uma década de previsões e planejamento escrupuloso, o porta-aviões HMS Queen Elizabeth finalmente se uniu a seu grupo naval de ataque. O navio está agora no centro da "maior e mais poderosa força marítima liderada pela Europa em quase 20 anos", afirma Marinha Real britânica.

    A força-tarefa é composta por nove navios de guerra, 15 caças, 11 helicópteros e 3.000 militares do Reino Unido, EUA e Países Baixos e está atualmente em treinamento no mar do Norte.

    Segundo o comodoro Steve Moorhouse, comandante da força-tarefa, "o novo grupo de ataque liderado pelo porta-aviões do Reino Unido é a personificação do poder marítimo britânico e ocupa o centro de uma Marinha Real modernizada e incentivada".

    Em entrevista ao portal The News, o ex-comandante da Marinha Real britânica, almirante Alan West, declarou que a capacidade de combate do grupo de ataque naval já não é motivo para riso para os líderes militares em Moscou.

    "Os russos podem dizer que os porta-aviões são apenas um 'grande alvo', mas eles sabem muito bem que não são – eles têm medo de um grupo de ataque de porta-aviões completo."

    "Eles sabem muito bem do que é capaz um grupo de ataque de porta-aviões. Mas é claro que eles vão dizer que podem afundá-los e, claro, vão dizer que não estão preocupados com eles", afirmou West.

    Anteriormente, um general aposentado do Reino Unido disse em declarações a um podcast que talvez as Forças Armadas nacionais não sejam suficientemente grandes em número para combater em uma guerra convencional.

    Mais:

    Putin: Marinha da Rússia receberá armas hipersônicas sem equivalentes no mundo
    Marinha dos EUA tenta se preparar para uma Rússia mais fortalecida no Atlântico
    Marinha russa monitora destróier britânico no mar Negro
    Tags:
    Marinha Real britânica, Rússia, grupo naval, navio de guerra, força-tarefa, Queen Elizabeth, superporta-aviões
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar