07:21 28 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    161087
    Nos siga no

    Avançado caça da Força Aérea dos EUA F-35 foi produzido com aplicação de tecnologias avançadas de furtividade. No entanto, descobriu-se que sistemas russos de guerra eletrônica conseguem não só localizar o avião como também "avariá-lo" com facilidade.

    Em entrevista ao jornal Zvezda, especialista militar russo Aleksei Leonkov explicou como sistemas de guerra eletrônica conseguem fazê-lo.

    "Sistemas de guerra eletrônica para aviões foram desenvolvidos para que os meios de inteligência do potencial adversário tivessem muita dificuldade em detectá-los no ar. A imagem que os aviões de reconhecimento ou radares antiaéreos do inimigo potencial estariam recebendo dificultaria sua localização", disse especialista militar.

    Por exemplo, os sistemas de guerra eletrônica L-175V Khibiny são capazes de incapacitar os F-35 mesmo sem utilização de armamento.

    "O [potencial] inimigo simplesmente desconhece sua localização, porque o sistema de navegação mostra coordenadas erradas. Portanto, ele não conseguirá transmitir [os dados da] missão de voo para os sistemas de ataque aéreo, além de ele próprio não ser capaz de localizar o alvo", ressaltou Aleksei Leonkov.

    Segundo o Ministério da Defesa da Rússia, em 2020 entre 80% e 90% dos sistemas de guerra eletrônica serão modernizados. Esses sistemas provaram sua eficiência na Síria e são considerados uma arma assimétrica nas guerras da próxima geração.

    Mais:

    Especialista explica por que EUA estão atrás da Rússia no quesito guerra eletrônica
    Marinha dos EUA planeja elevar capacidade de guerra eletrônica com nova antena de múltiplos feixes
    'Não adianta camuflar': sistemas de guerra eletrônica russos são ameaça para EUA, aponta mídia
    Tags:
    EUA, Rússia, aviação russa, aviação militar, defesa antiaérea, F-35, vigilância eletrônica, guerra eletrônica
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar