21:32 27 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    4115
    Nos siga no

    As imagens de um caça a jato "desaparecendo na água" são assustadoras para qualquer pessoa que as vejam, mas neste caso o piloto se "salva" subindo a aeronave.

    Foram postados no Instagram dois vídeos em que um caça F-35C Joint Strike Fighter da Marinha dos EUA é lançado do convés de um porta-aviões norte-americano com uma potência de catapulta aparentemente mínima, alegadamente como teste, relata o portal The Drive.

    No primeiro vídeo, o caça furtivo cai subitamente abaixo da proa do navio depois de percorrer a pista em um ritmo estranhamente lento. O caça reaparece logo depois subindo no ar, trazendo um alívio para o espectador.

    Ainda bem que temos pilotos de teste para isso! Por isso existem pilotos de teste... Algo que você não vê todos os dias... lançamento de catapulta de baixa energia! Aquele afundamento é assustador, mas fazia parte do plano de teste. O pessoal da PAX River [base naval no estado de Maryland, EUA] precisava encontrar a menor quantidade de energia que a catapulta precisava para lançar com segurança um F-35C... eles encontraram-na mesmo! Os profissionais de teste vão onde outros não vão através de acúmulo inteligente e mitigação.

    No segundo vídeo, é oferecido um ângulo diferente do mesmo momento, por baixo da proa do navio. Aí, o F-35C tenta se "agarrar" aos céus "rasando" a água.

    Você viu o vídeo anterior a partir do convés, agora veja o quão perto da água o F-35C realmente esteve!

    Veja as águas se separando por causa do escapamento do motor!! Aqui está o último vídeo, teste de catapulta de baixa energia, a partir da câmera da frente do navio. Você pode ver deste ângulo que a aeronave chegou perto da água. Lembre-se, porém, que isto foi uma parte dos testes e a equipe se preparou para este momento.

    Como dizem as descrições dos vídeos, os especialistas da Estação Aeronaval de Patuxent River, também conhecida como NAS Pax River, estavam tentando determinar a menor quantidade de energia que uma catapulta precisava para lançar um F-35C com segurança do convés de um porta-aviões.

    Anteriormente, em 19 de maio um avião F-35 no estado de Flórida sofreu uma queda, que obrigou o piloto norte-americano a se ejetar, tendo que ser hospitalizado.

    Caça furtivo de 5ª geração

    O Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA está agora operando os esquadrões de F-35B e F-35C após a chegada ao serviço da primeira versão para porta-aviões do avião de caça em janeiro de 2020, marcando a transição do F/A-18 Hornet.

    O F-35C é um caça de ataque furtivo de longo alcance de 5ª geração, projetado e construído explicitamente para operações de porta-aviões.

    De acordo com a fabricante Lockheed Martin, o caça combina a capacidade de operar a partir do convés de um porta-aviões com as capacidades furtivas, sensores fundidos e confiabilidade, oferecendo maior capacidade de sobrevivência e aumento das taxas de sucesso das missões.

    O F-35C, com asas maiores, maior capacidade interna de combustível e trem de pouso mais robusto do que as outras versões, é adequado para lançamentos de catapultas, com suas pontas das asas dobráveis para permitir mais espaço no convés do porta-aviões quando posicionados.

    Mais:

    Bombardeiros de longo alcance dos EUA conduzem 1ª operação estratégica na Suécia
    Caça F-35 enfrenta graves problemas com atrasos de fornecedores
    Pentágono limita velocidade do F-35 por risco de perder cauda
    Caças F-35 apresentam deficiências 'incorrigíveis' que limitam seu uso em velocidades supersônicas
    Segundo especialista, logística de caças F-35 é 'proibitivamente onerosa'
    Tags:
    Marinha dos EUA, 276 F/A-18 Hornet, Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA, Corpo de Fuzileiros Navais, Lockheed Martin, EUA, F-35
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar