06:02 03 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 247
    Nos siga no

    O clarão da supergigante vermelha Betelgeuse será suficiente para criar um brilho "visível durante o dia" e "de noite" no céu da Terra, na opinião do astrofísico russo Vyacheslav Avdeev.

    A explosão da estrela Betelgeuse, que deverá ocorrer nas próximas dezenas ou centenas de milhares de anos, levará ao aparecimento de uma "segunda Lua" no céu da Terra, disse Vyacheslav Avdeev, membro do Centro Astroespacial do Instituto de Física da Academia de Ciências da Rússia.

    "O brilho da estrela será como uma Lua cheia no céu. Será visível durante o dia, será bonita de noite", disse o cientista durante uma palestra no Planetário de Moscou, Rússia.

    Avdeev recordou que a estrela, uma das mais brilhantes do céu, começou em 2019 a perder rapidamente a luminosidade visível.

    Na época, presumiu-se que a estrela poderia explodir em um futuro próximo, mas os cientistas determinaram que a causa era uma nuvem de poeira ejetada que bloqueava a visibilidade. O brilho da Betelgeuse acabou por voltar.

    A estrela acabará em todo o caso explodindo nas próximas dezenas ou centenas de milhares de anos, crê Avdeev.

    A supergigante vermelha Betelgeuse encontra-se na constelação de Órion, a cerca de 640 anos-luz da Terra, e é conhecida por ser uma das mais brilhantes no céu noturno, por isso serviu sempre de ponto de referência para seus observadores.

    Mais:

    'Manchas estelares' gigantes podem desvendar misterioso escurecimento da Betelgeuse
    Mistério de perda de brilho de estrela supergigante vermelha pode ter sido desvendado
    'Desconhecida' explosão de ondas gravitacionais é detectada por observatórios da Terra
    Tags:
    Rússia, Moscou, Academia de Ciências da Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar