04:36 13 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 23
    Nos siga no

    Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC, na sigla em inglês) advertem sobre um tipo emergente de fungo que representaria "uma séria ameaça para a saúde global", segundo o site oficial do Instituto.

    Candida auris, que já foi registrada em 1.625 pacientes norte-americanos, é um fungo semelhante a uma levedura, a qual é difícil de identificar utilizando apenas métodos comuns de laboratório sem aplicação de tecnologia especial.

    O que torna o caso ainda mais perigoso é que este tipo de Candida pode suportar medicamentos usados para tratar outras infecções fúngicas.

    Segundo o CDC, "algumas estirpes são resistentes a todas as três classes acessíveis de [medicamentos] antifúngicos disponíveis", significando que não há tratamento para pessoas que se infectem com ele.

    Candida auris é potencialmente perigosa para pacientes internados, especialmente os que têm se alimentado ou respirado via tubos, aponta o Instituto. A infecção tende a entrar em seus corpos através da corrente sanguínea e depois se dissemina. As instalações de saúde são propensas para os surtos da infecção fúngica, uma vez que o fungo pode permanecer nas superfícies destes ambientes por mais tempo.

    A epidemiologista do Colégio Imperial de Londres, Johanna Rhodes, disse que a infecção mortal poderia se tornar fonte para uma nova pandemia global devido sua resistência aos medicamentos.

    Por sua parte, o especialista do CDC, Tom Chiller, descreve a infecção como "uma criatura da lagoa negra", avisando apocalipticamente que "emergiu e agora está em toda parte".

    Mais:

    Nem madeira nem tijolo: primeiras casas em Marte poderiam ser feitas de fungos
    Descobertos fungos em Chernobyl que poderiam proteger humanos da radiação
    Graças ao Twitter, pesquisadora portuguesa descobre novo fungo parasita (FOTOS)
    Tags:
    saúde pública, saúde, ameaça, fungos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar