08:02 28 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 20
    Nos siga no

    As criaturas, que viveram há cerca de 160 milhões de anos, se extinguiram em poucos milhões de anos, provavelmente devido à falha em criar asas que permitissem voar ou mesmo planar adequadamente.

    Os Yi qi e Ambopteryx longibrachium, duas espécies de dinossauros terópodes, não sabiam voar apesar de suas asas, informam cientistas da Universidade Mount Marty, EUA, que trabalharam em conjunto com uma equipe da China.

    Esses dinossauros viveram há 160 milhões de anos e possuíam dedos muito alongados com uma membrana de pele que se estendia entre eles, semelhante às asas de um morcego, mas diferentes das de outros dinossauros terópodes, comuns às dos dinossauros que mais tarde se tornaram aves, diz o estudo publicado na revista iScience.

    O mais importante, dizem os autores da pesquisa, é o fato desses dinossauros terem entrado em extinção após apenas poucos milhões de anos.

    Os paleontólogos examinaram os fósseis através de fluorescência estimulada por laser e compararam as asas com as de outras criaturas extintas. Devido a aspecto "estranho", as asas não se revelaram eficazes na luta evolucionária, fazendo a equipe de cientistas tentar reconstruir suas capacidades de voo após sofrerem ajustes a fatores como peso, envergadura das asas e posicionamento muscular.

    "Descobrimos que Yi e Ambopteryx eram provavelmente arborícolas, altamente improváveis de ter qualquer forma de voo motorizado, e que tinham deficiências significativas na locomoção baseada em batimentos [de asas] e capacidades limitadas de planar", afirma a equipe.

    "Eles realmente não podem fazer voo motorizado", diz o primeiro autor, o biólogo Thomas Dececchi, da Universidade de Mount Marty.

    O máximo que esses animais extintos podiam fazer era planar, mas nem nesse ato eles eram muito bons, segundo os cientistas, o que os tornaria piores que uma galinha ou até mesmo que o papagaio sem voo da Nova Zelândia, o Kakapo, comenta o portal Science Alert.

    "Propomos que este clade [grupo de organismos originados de um único ancestral comum exclusivo] foi uma colonização independente do reino aéreo para os terópodes não aviadores", indicam os pesquisadores.

    "Se for verdade, isto representaria pelo menos duas, mas mais provavelmente três ou mais tentativas de voo (tanto motorizadas quanto planadas) por pequenos terópodes pennaraptoranos durante o Mesozoico [período entre 252 milhões e 66 milhões de anos atrás]", concluem.

    Tags:
    China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar