12:42 02 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    142
    Nos siga no

    Pesquisadores na Califórnia, EUA, manipularam com sucesso células humanas de forma a imitar a camuflagem de certos polvos e chocos, seja como predadores ou presas.

    Cientistas conseguiram pegar as habilidades das células de certos cefalópodes responsáveis pela mudança de cor do corpo para se misturar ao meio ambiente, e transferi-las para células humanas. Os resultados foram publicados na revista Nature.

    "Nosso projeto, que é decididamente científico, se centra no projeto e engenharia de sistemas celulares e tecidos com propriedades controláveis para transmitir, refletir e absorver luz", diz o autor principal Atrouli Chatterjee, doutorando em engenharia química e biomolecular pela Universidade da Califórnia, Irvine (UCI, na sigla em inglês), nos EUA.

    Os pesquisadores da universidade utilizaram as células de certas espécies de polvos e chocos, que manipulam a luz para confundir predadores ou surpreender presas, e conseguiram criar células humanas que replicaram essa habilidade de animais marinhos.

    Atrouli Chatterjee se inspirou na lula Doryteuthis opalescens fêmea, que pode mudar a faixa em seu manto de quase transparente para branco opaco como mecanismo de defesa, utilizando certos tipos de proteínas chamadas reflectinas.

    Polvo de anéis azuis
    Polvo de anéis azuis

    Quando a equipe testou se seria possível ligar e desligar a habilidade colocando as células entre duas placas de vidro revestidas com diferentes concentrações de sal, conseguiu verificar que o cloreto de sódio é o que reflete mais luz, sendo então dos menos eficazes.

    Alon Gorodetsky, professor associado de engenharia química e biomolecular na UCI, relatou que as células humanas criadas em laboratório eram quase iguais às dos polvos.

    No entanto, os avanços realizados até agora não permitem aplicá-los a corpos humanos, apesar dos possíveis desejos extremos de anonimato na era atual. A pesquisa deverá ficar restrita a aplicação microscópica médica e biológica em um futuro próximo.

    Mais:

    Pesquisadores batem recorde encontrando lula 7.000 metros abaixo da superfície do mar
    Criação de polvos para alimentação humana ameaça ambiente
    Fóssil de 200 milhões de anos mostra lula atacando presa (FOTO)
    Tags:
    UCI, EUA, Universidade da Califórnia, Califórnia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar