05:30 03 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    395
    Nos siga no

    Ex-governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, e senador, Flávio Bolsonaro, trocam farpas na CPI da Covid. Ex-governador culpou Jair Bolsonaro pelas mortes de COVID-19 no país.

    A CPI da Covid viveu bate-bocas e fortes trocas de farpas nesta quarta-feira (16) durante o depoimento do ex-governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, que após discutir com senador Flávio Bolsonaro (Patriotas), deixou a sessão e não terminou depoimento, segundo o G1.

    ​Tudo começou quando Witzel afirmou que o governo federal e o Ministério Público perseguiram governadores, em seguida, Flávio Bolsonaro interrompeu o ex-governador e disse que tal afirmação era "muito grave".

    Logo depois, o advogado de Witzel pediu para que fossem retiradas "pessoas proibidas" da sessão, enquanto Flávio respondeu "não tenha medo doutor". Diante dessa fala, o vice-presidente da comissão, Randolfe Rodrigues e o relator da CPI, Renan Calheiros, disseram que havia uma "intimidação" por parte de Flávio.

    Calheiros perguntou a Witzel se ele se sentia inibido com a presença de Flávio Bolsonaro, e o governador respondeu que não.

    "Eu quero só dizer que eu não tenho nenhum problema em estar na presença aqui do senador Flávio Bolsonaro, eu o conheço desde garoto. Um garoto que conheço, a sua família, a sua mãe [....] conheço seu pai de longa data. A minha questão aqui não é pessoal, a minha questão é institucional em defesa da democracia", disse Witzel.

    Em seguida, Flávio ironizou a fala do ex-governador dizendo "que lindo discurso". Witzel respondeu logo após: "Se o senhor fosse um pouquinho mais educado e menos mimado o senhor teria respeito com o que estou falando. O senhor me respeite".

    Flávio Bolsonaro (Patriotas) discuti com o ex-governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, durante CPI da Covid em 16 de Junho de 2021
    Flávio Bolsonaro (de costas) discuti com o ex-governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, durante CPI da Covid em 16 de Junho de 2021

    Após quatro horas de depoimento, Witzel resolveu deixar a sessão sem concluir o depoimento.

    Declarações do ex-governador

    Ao longo dessas quatro horas, Witzel fez algumas declarações polêmicas sobre a coordenação do governo federal diante da pandemia, dizendo que prefeitos e governadores ficaram "desamparados" durante a pandemia, segundo o UOL.

    "Os governadores, prefeitos de grandes capitais e de pequenas cidades, ficaram totalmente desamparados do apoio do governo federal. É uma realidade inequívoca que está documentada em várias cartas que nós encaminhamos ao presidente."

    O ex-governador também culpou o presidente, Jair Bolsonaro, de ter deixado governadores "à mercê" diante da "desgraça que viria" e responsabilizou o presidente pelas mortes de COVID-19 no país.

    "O presidente deixou os governadores à mercê da desgraça que viria. O único responsável pelos [mais de] 400 mil mortes que tem aí tem nome, endereço e tem que ser responsabilizado", disse Witzel.

    Mais:

    Tribunal Especial Misto aprova inelegibilidade de Wilson Witzel por 5 anos
    'Nova jornada': senador Flávio Bolsonaro se filia ao partido Patriota
    Rachadinha: Flávio Bolsonaro entra na Justiça para ter acesso a dados de investigações contra ele
    Tags:
    depoimentos, CPI da Covid, Flávio Bolsonaro, Wilson Witzel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar