20:26 20 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    4110
    Nos siga no

    Defesa do senador afirma que não teve acesso aos dados das investigações da Receita Federal. Flávio Bolsonaro ingressou com um habeas data.

    A defesa do senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) pediu que a Justiça Federal determine a divulgação da devassa que a Receita Federal fez nos sistemas do fisco para identificar eventuais acessos aos dados fiscais do senador, relata o jornal Folha de S. Paulo.

    Os advogados do filho do presidente Jair Bolsonaro ingressaram com um habeas data, instrumento jurídico usado por perseguidos políticos durante a ditadura militar, que tem como objetivo assegurar a um cidadão acesso a dados e informações pessoais sob a guarda do Estado.

    Segundo a mídia, a Receita fez uma devassa para tentar identificar investigações em dados fiscais do presidente Bolsonaro, de seus três filhos políticos, Flávio, Eduardo e Carlos, de suas duas ex-mulheres, da primeira-dama Michelle, e de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (ALERJ).

    Os alvos do habeas data são o coordenador-geral de Tecnologia e Segurança da Informação da Receita, Juliano Neves, e o presidente do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), Gileno Gurjão Barreto.

     O presidente Jair Bolsonaro e o filho Flávio durante cerimônia de inauguração de obra.
    © Folhapress / Nayra Halm/Fotoarena
    O presidente Jair Bolsonaro e o filho Flávio durante cerimônia de inauguração de obra.

    Rachadinha na ALERJ

    Em março, uma reportagem mostrou que a quebra de sigilos bancário e fiscal de pessoas e empresas ligadas a Flávio, realizada no âmbito da investigação que apura a ocorrência de um esquema de rachadinhas no gabinete de Flávio quando era deputado estadual, aponta indícios de que irregularidades semelhantes também podem ter ocorrido no gabinete do seu pai, o presidente Jair Bolsonaro, quando este era deputado federal. 

    O senador, que recentemente filiou-se ao partido Patriota, foi denunciado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) por apropriação indébita, peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

    'Não faço fileira com bandido'

    Esta semana o vereador paulistano Rubinho Nunes foi expulso do Patriota. O parlamentar foi denunciado por indisciplina partidária e afirma que foi expulso devido às críticas que fez ao partido após a filiação de Flávio. 

    "Eu não faço fileira com a família Bolsonaro, com bandido, criminoso [...]. Vou tocar a minha vida bem longe deles", disse político, que também é advogado do Movimento Brasil Livre (MBL), à Folha nesta quinta-feira (10).

    A decisão foi tomada em convenção municipal da legenda realizada na segunda (7). Nunes afirmou que não vai recorrer da decisão.

    Mais:

    MP do Rio encerra órgão que investigou suposta 'rachadinha' de Flávio Bolsonaro
    Rachadinha: STJ nega recurso de Flávio Bolsonaro contra relatórios do COAF
    Flávio Bolsonaro aciona Conselho de Ética após senador vazar conversa com o presidente
    Flávio Bolsonaro sofre luxação no ombro em acidente de quadriciclo em praia do Ceará
    Tags:
    Fabrício José de Queiroz, Serpros, Receita Federal, Michelle Bolsonaro, Eduardo Bolsonaro, Carlos Bolsonaro, Jair Bolsonaro, ALERJ, Flávio Bolsonaro, Rachadinha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar