18:55 19 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    0 10
    Nos siga no

    O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou, na manhã desta terça-feira (11), que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou abril com alta de 0,31%, após um avanço de 0,93% em março.

    A inflação acumulada nos quatro primeiros meses do ano é de 2,37%. Já nos últimos 12 meses, a alta é de 6,76%, valor acima do teto da meta do governo para este ano, que é de 5,25%.

    De acordo com o órgão, em abril, a taxa foi pressionada pela alta nos preços dos produtos farmacêuticos, que ficaram 2,69% mais caros no mês.

    No grupo mais amplo classificado como "saúde e cuidados pessoais", a elevação foi de 1,19%.

    "No dia 1º de abril, foi concedido o reajuste de até 10,08% no preço dos medicamentos, dependendo da classe terapêutica. Normalmente, esse reajuste é dado no mês de abril, então já era esperado", disse Pedro Kislanov, gerente da pesquisa do IBGE.
    Manipulação de comprimidos.
    © REUTERS / Thomas Mukoya
    Manipulação de comprimidos.

    A maior variação nos produtos farmacêuticos, segundo o IBGE, veio dos remédios anti-infecciosos e antibióticos (5,20%).

    Também houve alta em produtos de higiene pessoal (0,99%), como perfumes (3,67%), artigos de maquiagem (3,07%), papel higiênico (2,90%) e produtos para o cabelo (1,21%).

    Mais:

    Má condução da pandemia não é 'fator significativo' para queda do real; economista explica motivos
    Por que o endividamento de famílias brasileiras continua crescendo e como afeta a economia do país?
    Dólar deve continuar caindo lentamente, mas é preciso cautela, diz economista
    Tags:
    medicamentos, remédios, consumo, pesquisa, IBGE, IPCA, inflação, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar