07:14 02 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    233
    Nos siga no

    O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta sexta-feira (30) os dados mais recentes da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD) que mostram que o desemprego no Brasil atingiu 14,4% no trimestre encerrado em fevereiro.

    O número de brasileiros desempregados foi estimado em 14,4 milhões, a quantidade representa um recorde da série histórica iniciada em 2012. As informações foram publicadas no portal do IBGE.

    "A população desocupada [14,4 milhões de pessoas] é recorde da série histórica iniciada em 2012, crescendo 2,9% [mais 400 mil pessoas desocupadas] ante o trimestre de setembro a novembro de 2020 [14 milhões de pessoas] e subindo 16,9% [mais 2,1 milhões de pessoas] frente ao mesmo trimestre móvel do ano anterior", escreveu o instituto.

    Na última PNAD, referente ao trimestre encerrado em janeiro, a taxa de desemprego estava em 14,2%, atingindo 14,3 milhões de brasileiros.

    ​Já o nível de ocupação (percentual de pessoas ocupadas na população em idade de trabalhar) chegou a 48,6%, o que representa uma estabilidade em relação ao trimestre móvel anterior (48,6%) e recuando 5,9% em relação a igual trimestre do ano anterior (54,5%).

    A taxa de informalidade foi de 39,6% da população ocupada (34 milhões de trabalhadores). No trimestre anterior, a taxa havia sido 39,1% e no mesmo trimestre de 2020, 40,6%.

    Segundo projeção da Confederação Nacional da Indústria (CNI), divulgada em março, a proporção de desempregados no Brasil poderá alcançar seu maior nível em 2021, com taxa de desocupação média de 14,6%.

    Mais:

    Flexibilização do Mercosul tornará Brasil mais competitivo internacionalmente, defende secretário
    Presidente do Clube Militar pede para Bolsonaro usar o artigo 142 da Constituição
    STF pode facilitar acesso a medicamentos e aquecer indústria nacional, dizem especialistas
    Epidemiologista: vacina da Pfizer é 'segura e efetiva', mas Brasil precisa de mais doses
    Brasil bate marca de 400 mil mortos pela COVID-19
    Tags:
    economia, postos de trabalho, trabalho informal, trabalhadores, trabalho, empregos formais, desemprego, emprego, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar