04:22 23 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    5367
    Nos siga no

    O presidente Jair Bolsonaro trocou o comando de seis ministérios nesta segunda-feira (29).

    As mudanças são na Casa Civil, na Secretaria de Governo, na Advocacia-Geral da União (AGU), no Ministério da Defesa, no Ministério da Justiça e Segurança Pública e no Ministério das Relações Exteriores (MRE).

    Na Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo, assume o lugar do general Walter Souza Braga Netto.

    O Ministério da Defesa passa a ser chefiado por Braga Netto após a demissão de Fernando Azevedo e Silva.

    O novo chanceler brasileiro é o embaixador Carlos Alberto Franco França, diplomata de carreira que estava na assessoria especial da presidência. França assume o lugar que era de Ernesto Araújo.

    O novo ministro-chefe da AGU é André Mendonça, que passar a ocupar o lugar de José Levi. Mendonça já chefiou a AGU no início do governo Bolsonaro.

    O Ministério da Justiça e Segurança Pública, que estava sob o comando de André Mendonça, passa a ser chefiado pelo delegado da Polícia Federal Anderson Torres.

    Já a Secretaria de Governo, que estava com Luiz Eduardo Ramos, passa a ser comandada pela deputada federal Flávia Arruda (PL-DF).

    Ernesto Araújo participa de reunião do Ministério das Relações Exteriores.
    © Foto / Divulgação/Gustavo Magalhães/Ministério das Relações Exteriores do Brasil
    Ernesto Araújo participa de reunião do Ministério das Relações Exteriores.

    No balanço, três ministros deixam o governo Jair Bolsonaro: Ernesto Araújo (MRE), Fernando Azevedo e Silva (Defesa) e José Levi (AGU). Outros três ministros foram remanejados de posição: Walter Souza Braga Netto, André Mendonça e Luiz Eduardo Ramos.

    O diplomata Carlos Alberto Franco França, o delegado da Polícia Federal Anderson Torres e a deputada federal Flávia Arruda (PL-DF) passam a fazer parte do time de ministros de Jair Bolsonaro.

    Mais:

    Pacheco abre investigação sobre suposto gesto supremacista de assessor de Bolsonaro (VÍDEOS)
    Um dia após criação de comitê para enfrentar pandemia, Bolsonaro critica isolamento
    Em cúpula de 30 anos do Mercosul, Bolsonaro critica regra de consenso nas decisões
    Queda de ministros indica 'limite da governabilidade' do bolsonarismo, diz especialista
    Tags:
    Jair Bolsonaro, presidência, ministérios, Brasil, Brasília
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar