09:25 12 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    106
    Nos siga no

    Em depoimento em seu gabinete nesta segunda-feira (20), o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) negou as acusações de seu suplente Paulo Marinho. Ele foi ouvido na condição de testemunha.

    O filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse a representante do Ministério Público Federal que não ficou sabendo de maneira antecipada sobre a operação Furna da Onça, investigação sobre corrupção na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). Um dos alvos da operação foi Fabrício Queiroz, que teve uma movimentação atípica encontrada em sua conta. 

    Marinho afirma que a operação vazou e que o chefe de gabinete de Flávio, coronel Miguel Braga, o advogado Victor Alves e Val Meliga, ex-presidente estadual do PSL e irmã de dois milicianos, encontraram no Centro do Rio de Janeiro um informante que teria repassado informações sigilosas. 

    Dias antes da operação ser deflagrada, Queiroz e sua filha, Natália Melo de Queiroz, foram exonerados. Natália era servidora no gabinete do então deputado federal Jair Bolsonaro.

    "Nunca houve vazamento, nunca chegou ao conhecimento do senador nenhuma informação sobre a Furna da Onça", disse a advogada de Flávio, Luciana Pires, segundo o site Poder360.

    Mais:

    Queiroz presta depoimento e não nega vazamento de operação da PF
    Esposa de Queiroz tinha caderno com telefones de Jair, Flávio e Michelle Bolsonaro
    Wassef acredita que 'poderosos políticos do Rio' queriam matar Queiroz, diz jornal
    Justiça diz que Queiroz pode ir para prisão domiciliar, mas com tornozeleira
    Esposa de Fabrício Queiroz se apresenta à polícia para cumprir prisão domiciliar
    Tags:
    depoimento, Ministério Público, Polícia Federal, Flávio Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar