09:12 10 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    1151
    Nos siga no

    Fabrício Queiroz, ex-assessor do então deputado estadual Flávio Bolsonaro, no Rio de Janeiro, prestou depoimento nesta quinta-feira (2) sobre o suposto vazamento da operação Furna da Onça.

    Preso no Complexo Penitenciário de Bangu, na Zona Oeste da capital fluminense, por suspeita de interferir na investigação que apura um suposto esquema de "rachadinhas" no gabinete de Flávio Bolsonaro na Alerj, Queiroz falou por mais de duas horas, nesta tarde, com membros do Ministério Público Federal (MPF), não negando, segundo um procurador citado pelo G1, o vazamento da operação. 

    ​Deflagrada em novembro de 2018, a Furna da Onça foi uma operação da Polícia Federal, desdobramento da Lava Jato, que investigou o pagamento de propinas a deputados estaduais do Rio e que levou ao nome de Queiroz, suspeito de operar o esquema das "rachadinhas" no então gabinete do filho do presidente Jair Bolsonaro

    ​Segundo o empresário Paulo Marinho, ex-aliado da família Bolsonaro, o então deputado, hoje senador, teria sido avisado sobre a investigação sigilosa, decidindo então desligar Queiroz de sua equipe. Embora este tenha afirmado, na última segunda-feira (29), que sua saída do gabinete de Flávio Bolsonaro tinha sido motivada por cansaço, os procuradores que ouviram o ex-assessor hoje (2) avaliaram que as novas declarações reforçaram suspeitas.

    Mais:

    Fabrício Queiroz é preso em SP; Justiça do RJ também autoriza prisão de sua mulher (VÍDEO)
    Em entrevista, Wassef diz que abrigou Queiroz porque queriam matá-lo e culpar Bolsonaro
    Fabrício Queiroz negocia delação premiada com MP, diz CNN Brasil
    Mulher de Queiroz reclama de advogado de Bolsonaro e questiona: 'Vão matar?', diz jornal
    Tags:
    vazamento, operação, propina, depoimento, ALERJ, MPF, Polícia Federal, Brasil, Rio de Janeiro, Jair Bolsonaro, Flávio Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar